terça-feira, 27 de novembro de 2007

O texto em si é apenas texto


por Jefferson Ramalho

Amados,

Eu estava pensando no significado que muitos têm dado à expressão humana, às imagens, aos textos, às formas... A maioria consegue fazer
exatamente aquilo que Paulo disse que não deveria ser feito... "cultuar a criatura no lugar do Criador".

Quando a igreja católica romana começou a valorizar os escultores, e, suas imagens "entraram" nos templos, o objetivo era simples... mostrar a santidade em forma de imagens para aqueles que não sabiam ler. Contudo, com o tempo, elas ganharam outro significado.

Quando um homem ama uma mulher, mas não a tem, ele se contenta por um tempo em contemplar seu lindo "objeto" de amor por meio de uma fotografia, mas com o tempo ele enjoa da foto, afinal, não é a foto que ele ama, mas quem está na foto. A pessoa.

O texto bíblico, para muitos, virou objeto de idolatria. Muitos se tornaram bibliólatras, e não conseguem aceitar que o que está no texto é apenas uma "construção humana" acerca do Sagrado, onde consta a perfeita mensagem de Deus. Mas o texto não é Deus. De tal modo, que Paulo nos diz em 1Co13 que um dia veremos a Deus face a face, e aí perceberemos como Deus de fato é.

O texto, insisto, não é Deus. É criação também e apenas. Sua peculiaridade está somente em ser o único conjunto de livros que melhor falou sobre Deus em toda a história. Serve-nos como nenhum outro livro, de guia, de manual, de cardápio. Mas o Caminho que este guia nos leva, O Que devemos cultuar conforme o manual orienta e o Alimento que devemos comer conforme o cardápio oferece, Estes sim, são Deus.

O texto é como a fotografia da mulher ou do homem distante. É como as imagens que se tornaram ídolos, quando passaram a ser mais adorados que o próprio Deus. Só que palavras, fotos, imagens... não bastam. É preciso conhecer AQUELE que é o CAMINHO, que é a VERDADE e que é a VIDA, conforme o texto apenas e suficientemente registra. Esta foi a função do texto, apenas.

na Graça,

Jefferson