quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Depositaram dinheiro na minha conta


por Jefferson Ramalho*

Quando eu era uma “criança evangélica”, eu conseguia acreditar nessa estupidez. O engraçado é que o tal anjo ou deus ou seja lá quem for o mamon que faz esses depósitos inusitados em contas bancárias de crentes, só o faz em contas de pastores, de líderes, de quem tem o microfone na mão.

Este tipo de “testemunho” mostra ainda mais o quanto o povo evangélico adora adorar o dinheiro e as riquezas. O pior de tudo é que para tornar tal prática uma blasfêmia, eles colocam o Nome do Altíssimo na conversa e afirmam sem nenhum temor que foi Deus ou um enviado Seu – no caso, um anjo – quem fez o tal depósito.


Fico enojado quando ouço esse tipo de coisa. Não consigo engolir mais esta aberração. Mais uma vez tenho de concordar com aqueles que enfatizam que o culto evangélico em sua esmagadora maioria se tornou um verdadeiro circo, uma verdadeira palhaçada.


A pessoa que diabolicamente afirma receber de Deus o tal depósito não tem a mínima preocupação em consultar seu extrato bancário ou simplesmente comunicar a agência a respeito do ocorrido. Se um dinheiro que não me pertence entrar em minha conta e eu perceber, o que devo fazer imediatamente é comunicar o banco, pois algum equívoco pode ter ocorrido. Alguém perdeu alguma coisa e está em minhas mãos. Se eu me omitir, sou um ladrão.


Por que será que Deus não deposita dinheiro em contas bancárias de pessoas que estão passando por necessidades financeiras há anos? Por que será que se para Deus é tão simples assim sair depositando dinheiro na conta bancária das pessoas, Ele então não resolve o problema econômico de milhões de pessoas e de dezenas de nações que vivem literalmente na miséria, como alguns dos países da África?


Com tanta coisa importante a ser feita, duvido que Deus esteja interessado em depositar dinheiro na conta bancária dos crentes. Isto é mentira. O pior de tudo é que as pessoas que dão este falso testemunho, sabem que estão mentindo, mas não admitem. Preferem viver debaixo da mentira, da falsidade, da hipocrisia evangélica travestida de santidade.


É assim que funciona esse negócio. Sim, é um negócio. Não pode ser outra coisa. E quem não entra no negócio, está fora. Não serve para fazer parte desse time. Ou você joga o jogo dos caras, ou você é um rebelde, um incrédulo, um enviado de satanás para semear confusão na mente dos irmãos. Só que na verdade, agindo assim, você é uma grande ameaça para esses vigaristas e aí, o que resta para eles que têm o poder de manipular a massa, é fazer a tua caveira. Alertar a todos que se afastem de você para não serem contaminados. Isto é a chamada igreja evangélica. Vale lembrar que estou certo de que existem exceções, mas não tenho dúvidas de que são raríssimas.


na Graça,


Jefferson

*o Autor é Formado em Teologia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2001 a 2005), licenciando em História pelo Centro Universitário Nossa Senhora da Assunção, relações públicas da Editora Vida e há dois anos é professor de História do Cristianismo, na Faculdade de Cultura e Ensino Teológico de Osasco