quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Cuidado com o que se ouve por aí...

Por Carlos Bregantim*
ELEJA AS VOZES QUE VOCÊ OUVE e/ou OUVIRÁ, especialmente as vozes que se propõem a cuidar da sua alma, do seu espírito ou que ousam falar em nome de Deus e sobre a eternidade.

É impressionante como hoje, qualquer um se sente no direito e preparado para instruir sobre os mistérios que nem o próprio Deus os revelou em sua totalidade. Cuidado, ouça, mas, avalie, pense, critique. Observe a vida dos que se arrogam este direito de palpitar sobre a sua alma, seu espírito e a eternidade, a sua eternidade. Observe se há sensatez, coerência, equilíbrio, entre a vida de quem diz e a palavra dita. Digo isto porque hoje há um contingente enorme de pessoas se auto-proclamando aptos para palpitar sobre a sua vida, sua alma, seu espírito. Posso estar enganado e cético demais, mas, será que estes assuntos são tão simples assim? Qualquer um agora esbarra em você uma única vez, nem sabe seu nome, e por conseqüência nada sabe de sua vida, e sai dizendo o que você deve fazer ou deixar de fazer sobre as questões do espírito, da alma, do céu, do inferno, da eternidade? Até entendo que alguns acabam por experiência entendendo bastante sobre, casamento, criação de filhos, negócios, política, meio ambiente e por ai vai, mas, daí a se entender capacitado para palpitar sobre as questões espirituais ou as complexidades de uma alma humana? Não creio que seja assim. Perdão, mas, hoje, são pouquíssimas as vozes que considero dignas de serem ouvidas especialmente, no que tem a ver com as entranhas da minha existência. Por conta disto, procuro ser muito reverente à medida que ouço as pessoas e estas perguntam o que fazer. Digo isto porque as elas não vivem sozinhas. Há todo um contexto de vida em torno delas. Há uma historia a ser considerada. Enfim, há tantos itens que compõem a existência que deveríamos todos ser mais zelosos, reverentes, cuidadosos ao ouvir e ao instruir. Às vezes, acho que esquecemos que estamos lidando com pessoas que aos olhos do Senhor são TERRENOS SAGRADOS. Às vezes esqueço que habita em mim o Espírito Santo de Deus. Às vezes sem nenhuma critica sensata ouço uma voz e saio como se fosse A VOZ. Aflige-me ver tanta gente boa de Deus sofrendo por conta destes descuidos e por conta da leviandade de tantos que palpitam nas vidas de tantas pessoas se auto-proclamando autoridades espirituais.

Com quase 53 anos são poucos os que reconheço como autoridade espiritual sobre a minha vida e sou muito, mais muito mesmo, cuidadoso em exercer esta autoridade sobre alguém. Afinal, tratar da alma, do espírito e sobre a eternidade de alguém, deve requerer, no mínimo alguma reverencia alem de temor e tremor, pois, é a vida de alguém que esta em jogo.

Que o Eterno, que colocou a eternidade dentro de cada um de nós, nos ajude a discernir o que, e quem fala da parte dEle. Que o Eterno nos ajude a desvendar alguns mistérios, ou nos ajude a conviver com mistérios, entendendo que não poucas vezes o mistério é um jeito de Deus nos preservar, pois, certamente não suportaríamos saber de tudo o tempo todo.
*é pastor, um dos mentores do movimento "Caminho da Graça", estação São Paulo.