quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Que fim levou o sagrado?

Por Gerson Borges

Que fim levou o sagrado? Onde foi parar a transcendência? Se isso é fato no ambiente católico, o que dizer dos nossos encontros evangélicos movidos a adrenalina (pseudo) religiosa pura? Não cabe silêncio, nem cânticos de lamento (metade dos Salmos) ou confissão de pecado, depois de um sermão ou desafio. Não se preocupa mais com o conteúdo litúrgico (que quer dizer apenas "o que fazer e cantar durante o culto ", mas com a necessidade de agradar ao consumidor cristão... aliás, esse é o nome de uma revista dirigida ao mercado gospel, a gente que, como eu – preciso admitir – produz música para as igrejas e circula por elas cantando, falando etc.

Leia todo o artigo em
Cristianismo Criativo .