quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Caridade


A caridade é uma boa disposição da alma, pela qual esta nada antepõe ao conhecimento de Deus. É impossível que chege à posse desta caridade aquele que tem inclinação para qualquer coisa terrestre (Máximo, o Confessor).

De fato, na vida do cristão, pensamos que nada deve se antepor ao conhecimento de Deus. Entretanto, nós, seres humanos comuns, sabemos, temos uma dificuldade tremenda de nos manter o tempo todos "antenados" nos pensamentos divinos. Certamente, quem assim procede, bem aventurado é.

Por outro lado, conheci alguns colegas que costumam chamar o seu cantinho da biblioteca em que se encontram os grandes mestres espirituais de "cantinho do malogro", visto que, não obstante o altíssimo padrão que ali é requerido, não conseguem, de modo nenhum, vivenciar aquilo na prática. E já ouvi isto de bispos, e até de padres e pastores. Particularmente, tive esta sensação quando li "A perfeição cristã", de John Wesley. E olha que Wesley não escrevia para pessoas que intencionavam viver a vida religiosa, mas sim para pessoas comuns de vidas comuns.

Bom. Talvez alguns seres humanos mais privilegiados tenham conseguido manter este alto padrão. Particularmente, conheci bem poucos, e não digo que tenham alcançado. A muitos de nós, só nos resta nos jogarmos à misericórdia. De qualquer modo, isto não quer dizer que não devamos ouvir muito do que disseram estes grandes mestres da espiritualidade cristã.