quinta-feira, 11 de junho de 2009

Do partir do pão


"...o cálice da benção que abençoamos, não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos, não é porventura a comunhão do corpo de Cristo?" (I Coríntios 10.16)



Ora, se não há presença real de Cristo nos elementos, como é possível falar em comunhão (koinonia) do sangue e comunhão (koinonia) do corpo de Cristo?



A participação de que nos fala a Escritura no corpo e no sangue de Cristo não é meramente lembrança psicológica, mas participação real.



Sem a presença real, não há evangelho (Martinho Lutero).