quinta-feira, 25 de junho de 2009





"Pois todo aquele que pratica o mal, aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem argüidas as suas obras" (João 3.20)

Atos secretos, atos secretos...

Peca-se contra a república todas as vezes que se faz da coisa (res) pública, como se fosse coisa particular. Isto, em todas as instâncias, do maior ao menor, do mais alto escalão do governo ao cidadão. Quando se associa a isso a fraude e a mentira, peca-se ainda contra Deus. Teoricamente, em uma democracia, os governantes e suas instituições deveriam servir o povo, e não servir-se do povo. As vezes, dá a impressão que não somos sequer republicanos, que não chegamos nem nos direitos de primeira geração (direitos individuais), quanto mais os de segunda geração (os direitos sociais). Entretanto, ainda é possível acreditar que vivemos em um sistema republicano pelo simples fato deste gente ter que mentir e omitir para cometer seus fétidos ardis; coisa que em um governo despótico, poderia ser feito a luz do dia. É preciso realmente jogar luz sobre todos os porões do poder, para que, por esta luz, os abusos possam finalmente serem levados à juízo.

fonte da foto: http://votozero.blogspot.com/