terça-feira, 25 de agosto de 2009

E de quem é a culpa, afinal...

Por Carlos Seino.

Ontém, pelo menos duas mil pessoas foram desalojadas dos seus barracos, em um terreno localizado no Parque Novo Engenho, região do Capão Redondo, Zona Sul de São Paulo.

Chocantes foram as cenas das senhoras, jovens, velhos, homens, crianças, tentando desesperadamente se apegarem a tudo aquilo que possuiam na vida. Algumas emissoras, mais do que outras, registraram de perto a reação dos moradores desalojados, entre os quais, muitas senhoras, idosas, derramavam-se em lágrimas.

Não quero discutir legalidade por aqui.

De legalidade, entendo um pouco, visto ser bacharel em Direito.

Entretanto, fico a me imaginar o que se passava na mente das crianças que presenciavam todos estes acontecimentos.

Acordar normalmente, e, de repente, verem se aproximar os tratores e o batalhão de choque, derrubando a sua "casa", o seu "quarto", esmagando seus brinquedos...

Aliás, a única expressão do Estado que muitos destes conhecem é a que se apresenta no escudo, na arma, e no cacetete da polícia militar.

Pouco sabem sobre educação, saúde e lazer; mas já são adultos na escola da opressão.

Esta criança não entende como pode um juiz, de uma canetada, desalojar centenas de pessoas!

Mas o juiz não tem culpa, afinal, ele é apenas um operador do direito!

A empresa, dona do terreno, não tem culpa, afinal, tal local foi penhorado por causa de uma dívida o INSS.

O Estado, não tem culpa, afinal, precisa cobrar a dívida, que, no fim, tem a ver com o dinheiro, com o patrimônio de todos, com o interesse público!

A polícia não tem culpa, afinal, eles só estavam cumprindo ordens!...

(quase me lembro de Tolstoi...)

Ou seja, quase três mil pessoas estão sem ter onde morar, e não há ninguém culpado!

Ou melhor, existe sim um culpado, ou melhor, milhares de culpados! Os próprios moradores desalojados!

Culpados por serem o elo mais fraco da corrente dentro do sistema! Culpados por serem pobres e não terem onde morar! Culpados por não terem dinheiro! Culpados por terem invadido o terreno alheio! Enfim, culpados por existirem!...

Enfim, está tudo certo, está tudo de acordo com a lei e a ordem!

Mas tem mais de duas mil pessoas agora desabrigadas...

E tudo o que é legal, é justo necessariamente!

A roda do sistema precisa girar, e o fato é que, muitos de nós prefere segurar o chicote nas mãos...

Feitores daqueles que ajuntam casa a casa, terreno a terreno, campo a campo, pensando que são os únicos habitantes da terra... Dificilmente um rico entrará no Reino de Deus...

De algum modo, o que ocorreu ontém no Capão Redondo, afeta e afetará a todos nós, pois "homem algum é uma ilha".

E onde estava Jesus?

Juntamente com aqueles que foram desalojados, pois Jesus sabe o que é ser "expulso do mundo", por ter se colocado ao lado dos oprimidos
da sociedade.