sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Que graça é essa?


Que graça é esta?


Que graça é esta que, quando merecemos a maior repreensão, a maior correção, a maior dura da parte de Deus, Ele nos vem como um bálsamo, um regozijo?


Que graça é essa?


Que graça é esta que, quando merecemos o seu castigo, a sua distância, ele se aproxima, como um amigo.


Que graça é essa?


Que quando aumenta a vergonha, batemos no peito, sequer temos coragem de olhar para a sua face, Ele está lá a nos justificar?


Que graça é esta?


Que, mesmo quando estamos como Pedro, o pescador, diante do Filho, e dizemos: aparta-te de nós, pois somos pecadores, Ele insiste em ficar conosco?


Que graça é esta que, quando Ele tinha todos os direitos e prerrogativas para rejeitar todo o gênero humano, pois nos tornarmos terrivelmente perversos, Ele ainda nos envia seu Filho, e n'Ele reconcilia consigo o mundo?


Que graça é esta?


Graça do amor, do cuidado, da provisão, da correção, da paciência, do amor, da bondade, da santidade, da purificação dos pecados e das intenções, graça do Espírito.


Bendita seja a graça, a maravilhosa graça de Deus.
"Miserável homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte? Graças a Deus, por Jesus Cristo nosso Senhor!" (Romanos 7.24-25).