domingo, 18 de outubro de 2009

O que eu gostaria que os líderes pentecostais fizessem.














Como tivemos ocasião de observar é o pentecostalismo composto em sua maior parte por gente muito sofrida...

Pois a maior parte de suas fileiras é formada por miseráveis, excluidos, frustrados, analfabetos e desinformados.

Prêmido por forças cujo jogo ignora o homem do povo lança-se cegamente nos braços do sobrenaturalismo e coloca sobre ele, por assim dizer todas as suas esperanças.

Sucumbindo-lhe as forças naturais na luta desonesta pela vida, o filho do povo, por defeito de formação, faz como se diz, a travessia, e apela a todo um conjunto de poderes místicos que inexistem na realidade e constrói todo um mundo a partir de tais poderes: um mundo mitológico e real.

Assim foje a dura realidade que o esmaga e da utopia 'religiosa' tira novas forças para poder viver.

E no entanto tal homem tornasse duplamente escravo, pois além de escravo duma estrutura material e temporal pautada sobre falsos valores torna-se igualmente escravo duma estrutura espiritual e religiosa que lhe dá a falsa sensação de estar livre quando na verdade permaneçe escravo e torna-se mais escravo na medida em que deixa de lutar dentro de um jogo de forças naturais e de exercer sua única oportunidade de tornar-se plena e totalmente livre.

Pois ninguém pode ser verdadeiramente livre enquanto escravo de outro homem mortal.

Jesus jamais ensinou aos homens para que se conformassem em ser escravos ou servos de outros homens, pois tal assentimento comporta uma violação da própria natureza e dignidade humana.

Creem talvez alguns pastores e líderes bem intensionados que ressuscitam almas para Deus e para seu abençoado Cristo e no entanto os corpos destes mesmos homens que ressuscitam em espírito permanecem presos e duramente encadeados a tirânia do relógio, da máquina e do mercado... a todo um regime anti-natural que só faz estiolar a natureza humana.

É verdade que a mensagem pentecostal não é plenamente conformista na medida em que diz a tal homem, que deve rezar para ocupar o lugar de seu patrão... E no entanto enquanto houver patrão o sistema se reproduzirá...

Todavia no frigir dos ovos, enquanto as preces não surtem o almejado efeito, nosso homem, sem contar com outra opção, vai se conformando com o ser escravo e procurando em suas atitudes pessoais falsas explicações com relação a sua triste condição: maldição ancestral, pecados, falta de fé, obcessão diabólica, feitiços e demandas...

E na medida em que aceita tais explicações mágicas como sendo os fundamentos de sua condição servil e a prece, o jejum ou a contribuição como os únicos recursos disponiveis com que implementar sua emancipação, permanece sendo sempre o que sempre foi: um pária...

O que gostariamos de dizer a tais pastores idealistas é que trabalhassem concretamente pela libertação total do homem importando-se também com seus corpos famintos, enfermiços, fatigados... corpos que carecem não apenas de preces e de esperanças ilusórias mas de pão, roupa, remédio e teto.

Nem peço que os pastores lhes doem tais coisas ou benefícios pois neste caso a miséria é tanta que faltariam pastores, padres, rabinos ou imames suficientes com que conjura-la... Não digo que deem coisas a estes homens, mas que lhes deem um conhecimento verdadeiro sobre as causas dos problemas que lhos afligem e sobre a realidade em que vivem, ou seja, que lhes forneçam os meios necessários a sua plena libertação na medida em que saber é poder.

Afinal só posso transformas a realidade a medida em que sou capaz de capta-la e de compreende-la e se lha disfarço ou lha oculto não lha transformo, não lha modifico, não lha altero e não lha alterando faço o jogo do sistema e afirmo um Cristianismo que não faz diferença alguma, exceto por prometer um céu como todas as outras religiões e crenças teem feito desde que o mundo é mundo.

Entretanto não é deste céu que o homem do povo carece enquanto seus filhos choram de fome e rolam pelo chão... tal homem precisa apenas duma terra menos terrena, menos desumana, menos cruel e um tantinho mais Cristã, mais justa, mais solidária e mais fraterna.

É no tempo presente mesmo que precisamos e muito de Jesus e de sua verdadeira mensagem de justiça, de retidão, de honestidade, de solidariedade, de co fraternidade.

Jesus precisa fazer diferença e diferença real na vida deste homem sofrido não como um sedativo, um placebo ou um ópio que encha sua alma de torpor e covardia, mas como um dinâmo que o leve a lutar com todos os meios sãos e legítimos pela recuperação de sua dignidade enquanto pai de família, proletário e cidadão...

É só procurando a justiça do reino e não a justiça meramente fiducial do sr Lutero que o mais nos será dado por acréscimo.

Não são bens materiais que o Santo e Bendito fará cair do céu aos filhos do Reino. Dos céus fará descer a justiça e retidão anunciadas pelos santos profetas de outrora, justiça que destruirá por completo estas estruturas malignas, desordens revoltantes e sistemas iniquos e nos acrescentará a vida perpétua no mundo vindouro.

Afinal o que é buscar o Reino de Deus senão busca-lo para faze-lo acontecer neste mundo?

E obter o mundo futuro por acréscimo no dia da ressurreição?

Cumpre portanto denunciar e desconstruir o reino do Anti Cristo ou seja o Reino de Mamom se é que pretendemos mesmo construir o Reino de Deus através do qual Deus viva e reine através de seus santos e se manifeste através de suas obras, não de obras mirabolantes, mas que obras singelas como as bemaventuranças, pois o cumprimento das bemaventuranças constitui a essência do Reino e o Reino pode ser descrito como o viver as bemaventuranças... Viver as bemaventurança, poderia haver milagre mais portentoso e mais necessário a atual geração?

E no entanto a maioria dos pregadores tem na verdade a alimentado e fortalecido o Reino do Anti Cristo, agindo como batedores da mamonolatria, e do culto, e da servidão, e da religião do dinheiro...

Pois ao contrário de suas ovelhinhas magras e fragilizadas parte desses respeitáveis ministros chegou a fazer cursos de psicologia, administração, publicidade, etc os quais dum modo ou de outro com maior ou menor intensidade colocou-os frente a frente com uma realidade social e política X, exigindo um determinado tipo de postura ou comportamento... Pois ao homem do Evangelho, que conhece o livro e o leva a sério cada situação de injustiça exige um posicionamento...

Logo, tendo conhecimento ainda que vago sobre os virus e bactérias, as leis e o regime de mercado, os esquemas e padrões de comportamento pessoal, etc ( e sobre tratamentos e terapias, planejamento econômico responsável, educação e formação pessoais, etc ) tais ministros tornam-se verdadeiramente culpados por falsear a realidade na medida em que recusam a divulga-la... e merecem ser indigitados como inimigos dessa pobre e angustiada gente.

Portanto o que eu gostaria que tais homens fizessem que é que parassem um pouco e refletissem sobre o que estão fazendo e sobre com quem estão brincando...

Não, não direi que este nome vingar-se-a deles lançando-o num braseiro ou numa churrasqueira eterna, pois este nome não precisa ser nome de algoz ou torturador para merecer nosso respeito, amor e devoção, pois é nome de torturado!

Pois é nome de pobre que nasceu numa mangedoura e que viveu sem ter pedra sobre a qual pudesse recompor sua fronte cansada...

Pois é nome que empunhou o latego contra os profanadores...

Pois é nome de homem que sendo Deus pereceu torturado por aqueles a que desafiou e a cujo poder denunciou implacavelmente e este nome é, repito, digno dos maiores respeitos.

Então respeitemos este nome e cessemos de ministrar as mais clamorosas mentiras... deixemos de manobrar contra o povo simples e humilde escudados nesse nome que só exprime justiça e amor.

Como creio no verdadeiro poder da graça e do Evangelho para coadjuvar os esforços daqueles que desejam reformar-se moralmente, como conheço os efeitos deste evangelho e desta graça verdadeira nas vidas dum Antão, dum Crisóstomo, dum Francisco, dum Valdo, dum Abbe Pierre... creio ser perfeitamente possivel que qualquer um de vocês venha a subir ao púlpito para dizer a verdade!

Para dizer a verdade e não mentiras!

Para esclarecer e não embaralhar!

Para dizer a este povo que as coisas deste mundo estão erradas na medida em que não estão de acordo com os principios e valores enunciados pelo Evangelho e que não expressam a vontade de nosso Criador e Mestre...

Para dizer que esta ordem tão recomendada pelos políticos, militares e sobretudo pelos senhores do capital não passa de desordem frente aos valores perenes que manam da eternidade.

E sobretudo para dizer que esta sociedade precisa ser verdadeiramente reformada ou melhor convulcionada como jamais foi não só quanto a fé ou a conduta individual mas principalmente quanto a suas relações sociais obdecendo ao principio da alteridade.

É isto e apenas isto que espero desses pastores e condutores de almas...

Que sejam fiéis a suas consciência e parem de ludibriar ao povo em nome de Jesus Cristo.

Assim veremos de fato o poder e a glória do Espírito Santo!

Na construção dum mundo novo que seja fiel aos principios sagrados e no qual se reflitam os ideais perpétuos e imortais da justiça!

Brilhe sobre nós o Sol explendoroso sa justiça, e nos conduza de dia a dia, de claridade a claridade, de aurora a aurora!

Talvez alguém possa vir a rotular-me como crédulo ou romântico...

Neste caso limitar-me-ei a dizer que: a caridade tudo crê.

(Até mesmo na possibilidade de transformação para um pastor pentecostal)

E que creio em muitas outras formas de utopia...

Afinal o mundo seria muito menos belo sem ela.