domingo, 8 de agosto de 2010

O Pai



"...e compadecido dele, correndo, o abraçou e o beijou" (Lucas 15.20b)

Neste dia, porque não nos lembrarmos do mais amoroso dos pais?

O que torna o cristianismo maravilhoso, apreciável, desejável, desconcertante, inquietante, indescritível, sem dúvida nenhuma, é a figura do escandaloso amor do Pai por seus filhos.