sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

A glória de Deus em Lázaro


"Quando, pois, soube que Lázaro estava doente, ainda se demorou dois dias no lugar onde estava" (João 11.6).



Sempre achei estranho ler estas palavras de Cristo. Isto porque, fico imaginando que, se eu amasse alguém, e soubesse que estava precisando de socorro, correria imediatamente para tentar assistenciá-lo.

Entretanto, Jesus não fez assim. E, se damos crédito à Palavra de Deus, sabemos que Jesus amava Lázaro (vers. 3;  36).

E, na verdade, até afirmou que tal ocorrência seria para a "glória de Deus, a fim de que por ela o Filho de Deus seja glorificado" (vers. 4).

Não digo que, a partir desta passagem bíblica, devamos tardar a prestar socorro quando necessário; entretanto, verifico que o sentido da vida que entendemos ser cristã não é o socorro imediato de nossas necessidades ou carências, mas sim a glória de Deus.

Nesse sentido, nem sempre o que para nós seria lógico (no caso, o socorro imediato de Lázaro) seria mais apropriado para a glória de Deus.

Então, é algo que somente o discípulo poderá entender, e pela fé. De que o sofrimento pelo qual passa não é sinal de que ele é menos amado por Deus, mas sim que a glória d'Ele está para manifestar-se em sua vida. Pode ficar na expectativa, na santa esperança de que após um longo período de dor, virá uma manifestação da glória divina, e, que, concomitantente, nada há que fuja à soberana vontade do Senhor, e que, todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus e são chamados segundo o seu propósito. Não tente enquadrar Deus na lógica humana. Você irá se surpreender, para o bem ou para o mal...