segunda-feira, 11 de maio de 2015

O cristão pode juntar dinheiro?

O cristão e o dinheiro
foto: http://www.comoguardar.com/

"Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra..." (Mateus 6.19).

Não são poucas as pessoas que com base neste versículo ficam a se perguntar se não pecam ao juntar dinheiro em uma caderneta de poupança ou em outra aplicação qualquer. Pode um cristão acumular bens? Ter casa própria? Investimentos?

Realmente, não é algo tão simples de responder em minha opinião. Vamos tentar conjecturar.

Em primeiro lugar, todos concordam que não podemos colocar o nosso coração nestas coisas. Juntar dinheiro e aplicar bens materiais não pode ocupar o lugar central em nossas vidas. Entretanto, é preciso tomar cuidado para que nossa obediência não seja apenas "platônica". Há quem diga que não tem o coração no dinheiro, mas que objetivamente só parece viver para isso. Um tipo de falsa mordomia. Mas ainda assim não é incorreto dizer que não podemos ter o coração nestas coisas.

John Wesley ensinou que podemos sim, ganhar dinheiro. Entretanto, não devemos acumular dinheiro, e sim distribuir o mais que pudermos, gastando o menos que pudermos conosco mesmo. Ele aconselhava juntar mais para distribuir mais. E ao que parece, o grande avivalista realmente viveu o que pregou, pois embora tenha movimentado muito dinheiro em sua vida, conseguiu distribuir tudo o que ganhou. Ele ainda dizia que este versículo é como se estivesse no grego original, pois ninguém o obedecia.

Não foram poucos os que na história da igreja viveram o preceito de Jesus literalmente e não juntavam nada mesmo. O mais famoso, creio eu, foi Francisco de Assis. Entretanto, a maior parte de nós não viverá o exemplo de Francisco, e nem era isso que ele pregava. Admiro profundamente o ideal franciscano, mas mesmo dentro do catolicismo se aceita que não é um chamado para todos. Além do que, hoje as ordens, sejam franciscanas ou beneditinas possuem muitos recursos neste mundo.

Existe, no protestantismo, a prática de missões heroicas. Um missionário, que com a fé e a coragem, vai para um lugar distante pregar a palavra de Deus, mesmo sem garantia de sustento. Há muitos bons testemunhos neste sentido. Gente que deixou tudo e foi pregar para povos distantes. Realmente, é de se concordar que estes vivem um verdadeiro apostolado e não juntam nada para si.

Particularmente, neste momento, para pessoas comuns, estou a entender que a mensagem de Jesus é para que tenhamos uma vida simples. Que cada qual escolha viver de maneira modesta, com o necessário para uma vida digna. Que tenha o coração aberto para repartir. Não acho errado que uma família ajunte de pouco a pouco para provisões futuras para que ninguém venha a ser pesado para ninguém e nem sinta falta na velhice. Que cuide de sua família da melhor maneira possível, mas sem necessariamente se dobrar ao luxo. Que não venha a envergonhar os que nada têm com nenhum tipo de ostentação.

Creio que assim estaremos um pouco menos distante de cumprir o preceito de Cristo. E no final das contas, é Deus quem nos julgará, e certamente o modo como utilizamos as riquezas deste mundo será um parâmetro do qual seremos avaliados.

Leia também:

O ensino de Jesus sobre riqueza e pobreza

O ensino de Jesus contra o desperdício de nossas próprias vidas

Diálogo mestre e discípulo acerca da renúncia cristã


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...