segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Presidente iraniano sustenta que os muçulmanos precisam melhorar a imagem de sua religião



Talvez seja algo um pouco raro de acontecer, um importante líder muçulmano fazer uma certa "mea culpa" da atual imagem de sua religião.

Sinceramente todos esperamos que a imagem que venha a prevalecer desta grande religião seja realmente a da paz e da moderação. Mas isso é muito difícil, ainda mais enquanto religião e estado estiverem misturados. 

Salvo melhor juízo, no Irã, xiita, bem como na Arábia, sunita, vigoram pesadas leis contra muçulmanos que deixam suas religiões, bem como pesadas restrições contra outras religiões. Se levarmos em consideração a opinião de alguns de que a religião é o primeiro direito humano fundamental, fica difícil melhorar a imagem de tal religião, mesmo que das versões ditas "mais moderadas".

Parece-me que, no ocidente, a imagem da igreja Católica só melhorou quando esta deixou de se confundir com o poder temporal. Talvez possamos dizer o mesmo do protestantismo. Mas como fazer isso com o islamismo se tal religião já parece trazer no bojo de sua teologia a necessidade de domínio político e jurídico das nações?

Com informações de Globo.com