quinta-feira, 7 de abril de 2016

Discussões políticas

Não faz muito tempo coloquei um foto minha no facebook acerca da má situação dos trensem São Paulo, e publiquei meio que querendo ser irônico com a frase “Viva Geraldo”.

Rapidamente, mais do que eu imaginava, a foto foi bastante curtida, mas também surgiram comentários raivosos, e até acusação de que eu era petista!

Isso demonstra que vivemos tempos bastante complicados nesta questão, praticamente polarizados, em que criticar um dos lados já te faz ser, automaticamente, na visão de alguns, apoiador do outro!

Particularmente, entendo que não deveríamos romper nossas amizades por questões políticas.

Isso porque a maioria de nós não conhece pessoalmente os políticos que vemos na mídia. Não sabemos se são pessoas boas, educadas, honestas, justas, agradáveis, pois não convivemos com elas. Por outro lado, nossos amigos e colegas, conhecemos pessoalmente. Se há alguma afinidade, alguma amizade, é porque de algum modo já consideramos que vale a pena caminhar um pouco com tal pessoa. Logo, romper uma amizade ou um coleguismo por conta de uma discussão política é como trocar o certo pelo duvidoso.

Outra questão que sempre me pareceu muito importante é o fato de que, nessas discussões acerca de pessoas públicas, nós raramente temos acesso aos fatos primários. Nós não somos testemunhas oculares. Tudo que chega até nós são informações mediadas, interpretadas, e até mesmo distorcidas. Já, o seu amigo ou colega, você conviveu, conhece fatos da vida dele (pelo menos os que te dizem algum respeito), por isso vocês têm uma história de convivência. Será que vale a pena colocar tanta energia em assuntos e notícias que nem sabemos se verdadeiras?


Sim, é verdade que política afeta a vida de cada um de nós. E cada qual, com base em seu modo de pensar, informações, estudos realizados, entre outras coisas, pode, no nosso sistema político, chegar à conclusão que melhor lhe parecer, e que, talvez, não seja a mesma de um amigo. Entretanto, por mais que a política afete nossa vida, não o faz na mesma esfera que uma amizade. Portanto, brigar por questões políticas, além de por em risco amizades e coleguismos, revela-se uma inutilidade.