terça-feira, 17 de março de 2009

Elefantes, camelos e cordas, tudo passa pelo fundo da agulha, alargada...


Não discutirei aqui se Jesus disse originalmente elefante, camelo ou corda..
Pois jamais soube que cordas, camelos ou cordas fossem capazes de passar por fundos de augulhas.
Por isso disse Jesus: É mais facil um camelo passar pelo fundo duma agulha, que um rico entrar no Reino de Deus, como quem diz: Não entra, não entra mesmo...
Como quem diz chuva seca ou fogo molhado... como quem diz círculo quadrado...
Quiz Jesus deixar as coisas bem claras, de modo muito direto e fraco, como era costume seu e por isso escolheu uma expressão que exprime a mais absoluta impossibilidade...
Não disse que é díficil um rico entrar no reino dos céus, jamais teria dito essa tolice e tampouco quiz dize-lo...
Jesus não era de enrrolar ou de encher linguiça e por isso foi declarando logo a impossibilidade dos materialistas ou seja daqueles que não se contentam com o necessário para viver dignamente, dos ricos, dos nababos, dos milionários, dos afortunados, dos dissipadores, enfim de toda essa gente, entrar no Reino celestial...
Condenou irremissivelmente essa ambição desmedida por bens materiais, a mais rematada prova de materialismo.
Condenou o acumulo irrestrito de bens neste mundo quando disse que tais tesouros seriam destruidos e que deviamos acumular tesouros impereciveis nos céus, distrbuindo nossos bens corruptiveis entre os necessitados.
Ensinou-nos a fazer justamente o contrário do que a Cristandade apóstata faz: investir em poupanças e ações a custa de dar esmolas. Cristo mandou que esmolassemos a custa das poupanças e ações que são tesouros acumulados neste mundo.
A lógica de Cristo é perfeita e insuperável, mas os homens...
Tudo subvertem, tudo escamoteiam, tudo alteram...
Por isso alargaram a não poder mais o fundo da agulha, converteram-no em tunel e por ele fizeram passar: cordas, camelos e até elefantes...
Passam os Rostchild, passam os Astor, passam os Gates...
Assim as portas do céu foram abertas, de par em par, para aqueles que não fazem outra coisa senão juntar riquezas até o infinito...
E agiram sem a menor cerimônia: deram o nome de agulha a uma brecha feita nas portas das casas orientais com o objetivo de impedir ou de dificultar a passagem dos camelos, e tudo ficou arranjado, disseram que Jesus se referiu a essa brecha...
Ninguem pode negar que o ser humano seja criativo, altera-se o nome duma brecha nas portas das casas, e pronto, todos os mendigos espirituais são admitidos no céu...
Bela estratégia...
Não sei como os padres da Igreja não pensaram nisso. Sim, pois eles compreenderam agulha como agulha mesmo e dai deduziram a condenação irremissivel da avareza... essa perversidade que consiste em investir em objetos desprovidos de vida enquanto nossos irmaõs em Cristo morrem de fome...
Desde de que a busca ilimitada pelo lucro foi justificada pela mãe igreja a piedade Cristã vem mingando dia após dia...
Nada mais cômico do que ver um liberal tecendo apologia a esmola quando arguido sobre a necessidade de reformar sociais.
De fato a esmola não passa de teoria, que só serve de subterfúgio ou argumento a ser lançado, toda vez que postulamos a necessidade premente de implementar a justiça social no país.
Ai os nossos cristãos materialistas se recordam do preceito da esmola, ai se lembram de despejar algumas moedinhas na mão de algum pedinte, esperando ouvir um muito obrigado!!!
Por ai se vê que essa gente não lê o Evangelho ou que não o lê com a devida seriedade. Pois Jesus Cristo não se limita a recomendar a esmola, não, ele estipula bem a proporção em que a esmola é meritória: A esmola que o Cristão deve dar não é a esmola do infiel, que espera ouvir palavras de gratidão, mas a esmola da viúva...
Esmola da viúva, mas que raios vem a ser isso?
Sois os teóricos da esmola e não sabeis o que é a esmola da viúva?
Talvez por isso não saibais esmolar corretamente...
A víuva foi proposta pelo Senhor como exemplo de conduta (e não de fé teorética) porque depositou no gazofilacio do templo, não as sobras que lhe restavam ou os miseros trocadinhos que os liberais reservam aos pobres (Milton Friedmann que o diga!), mas a maior parte de seus recursos...
Aí...
Não sois sequer capazes de esmolar como um fariseu hipócrita... Pois os fariseus ao menos enchiam as mãos dos miseráveis...
Como podeis esmolar corretamente seguindo o exemplo recomendado por Jesus?
Jesus jamais mandou que humilhassemos aos nossos irmaõs dando-lhes sobras ou migalhas... mandou que dividissemos nossos recursos com eles...
Esta escrito, ide ler na memória da viúva... ela não deu migalhas ou restos porque o Cristo que habita no pobre não é digno dessas mesquinharias...
A vossa esmola não chega aos pés das esmolas hebraicas ou muçulmanas, as quais Jesus ordenou que ultrapassassemos em prodigalidade...
Vossas esmolas são avarentas e parcimoniosas porque com a maior parte de vossos recursos preferis consumir, vivendo luxuosamente e alimentando este sistema econômico materialista e anti-cristão.
De fato o surgimento desta ordem capitalista no Ocidente significa apenas uma coisa e só esta: o Oriente ainda crê, o Ocidente já não crê mais, finge que crê, interpreta uma farça, diz que cre, prega, diz ter fé, canta, grita, mas não crê em absolutamente nada.
O Ocidente é materialista e vive conforme esse credo, comprando, consumindo, acumulando, lucrando, investindo...
A única fé ainda viva no ocidente é a fé no capital ou no dinheiro, que move o mercado e mantem tantas e tantas vivas artificiais...
É toda uma religião de superficialidades ou fé dominical...
Vivemos olhando para o próprio umbigo, trabalhando como máquinas, poupando e gastando a semana inteira, sem se lembrar por um só momento dos pobres e miseráveis que nos rodeiam, no Domingo nos lembramos de que há um Cristo e um paraíso e acorremos aos templos para ouvir um padre ou pastor declarar que nos salvaremos se crermos no que dizem e fizermos orações...
Que religião triste, que cadaver de religião... Uma religião assim é podre e carcomida devendo vir a baixo... só serve para massagear o ego das burguesias, ora Jesus jamais massageou o ego de quem quer que fosse. Atentai como admoestou aos fariseus hipocritas que o cercavam!!!
Convem que ele permaneça lá nos céus, que não volte... pois a Cristandade adoradora de Mamon lho crucificaria novamente, para depois tranca-lo num caixão de chumbo e atira-lo no fundo do Oceano...
Porque essa linda Cristandade, para começo de conversa, não esmola de forma alguma...
Só fala de esmola, quando lhe convem.
Mas não leva a tal da esmoma a sério...
Imaginemos que cada Cristão agisse como a Santa viúva apontada pelo Senhor e que destina-se a maior parte de suas rendas, todo o supérfluo como dizia Tomás, aos pobres de Cristo, SE ISTO FOSSE FEITO, TERIAMOS TANTA MISÉRIA OU SOFRIMENTO A NOSSA VOLTA? TERIAMOS CHEGADO A TAL ESTADO DE COISAS? HAVERIA TANTA NECESSIDADE, TANTA INDIGÊNCIA, TANTO PAUPERISMO?
É claro que não...
O pauperismo evidencia claramente que a Cristandade hipocrita não tem vivido como Jesus Cristo determinou e que não deseja corrigir-se.
Ou ela não cre em absolutamente nada...
Ou cre de fato nessa teoria mirabolante de que poderá salvar-se muito facilmente, em seus pecados... e não DE seus pecados como diz o evangelista...
Pois quem se salva em seus pecados se salva pecando e violando a lei de Cristo. Mas se a lei da virtude, da justiça e da caridade publicada sobre o monte, foi publicada por Cristo, publicada foi para ser cumprida e não para ser burlada...
Agora, quem se salva DO pecado, este passa a santidade pela luz da graça e em Cristo torna-se novo homem predisposto apenas para obras santas e piedosas da vida e não para obras de morte.
Quem pratica obras tenebrosas na treva está e não conheçe a luz...
Se estamos na luz, vivamos como ele viveu...
Devemos pois encarar com seriedade o Evangelho, como vida e não como brincadeira. Com Deus não se brinca... não é apropriado.
Mas há gente de sobre bricando com o evangelho e burlado a lei divina: esses Cristãos que falam tanto em esmola, mas que não esmolam e que quando esmolam não o fazem corretamente...
Não haveria capitalismo, ou seja investimento em coisas e objetos superfluos ou em necessidades artificiais, se houvesse Cristianismo, ou seja a pratica da esmola que é um investimento em seres humanos tendo em vista a eternidade bendita...
Se os Cristãos tem preferido depositar suas rendas no banco do Setubal ou do Amaral, ao invés de deposita-lo no banco de Cristo que é o próximo, alguma coisa esta errada...
Se nossos recursos excedentes fossem capitalizados tendo em vista a eternidade, esmolariamos como Pedro Waldo, ao invés de juntar terra a terra, campo a campo, moedas de ouro e prata, jóias, ações, apólices, etc Todas esses objetos denunciam que o coração deste povo esta bem firmado ou fixado na terra e não nos céus...
O capitalismo só existe devido a circulação das riquezas que é o consumo ou a seu acumulo nas mãos dos grandes capitalistas os quais tornam a investi-las tendo em vista seu aumento... Ora toda esta dinâmica é impossivel num contexto em que os bens são divididos fraternalmente por meio de esmolas ou contribuições... Se o dinheiro, que é limitado, sobeja num dos lados, faltará noutro...
E de falto, sobejando nas articulações do sistema, já no consumo por parte da população, já no acumulo por parte dos burguezes, ele mingua no que diz respeito a esmola e aos pobres.
As esmolas são irrisórias, são ofertadas uma vez na vida e outra na morte, a gosto do doador de modo que os mais humildes ficam completamente a merce da miséria, da fome, do frio, das intempéreis, da ignorância, etc
Porque os pobres não sentem fome ou frio apenas de vez em quando, uma vez na vida e outra na morte, esporadicamente, mas todos os dias, porque tais fenômenos não cedem a força da vontade...
Logo, se Jesus tivesse deixado a esmola entregue aos caprichos subjetivos de cada um os pobres estariam bem arranjados...
Por isso que ele estabeleceu o exemplo da viúva...
É necessário abrir mão de todo o superfluo, de todo o excedente... e faze-lo com frequencia e assiduidade, para que a irmandade tenha o que comer, beber, vestir, etc e não venha a ser apressada pelas garras aduncas da morte!!!
Porque a fome, a sede, o frio, os trabalhos excessivos, tudo isto reduz a vida do homem - o tempo que dispõe para estudar a lei divina e praticar o bem - e aproxima-o da morte!!!
É pois a falta de compromisso e de seriedade dos Cristãos modernos, simpáticos ao sistema, a causa de muitas mortes e padecimentos. Cristo conhece as verdadeiras causas, as causas primárias e saberá cobrar aos responsáveis, verdadeiros assassinos do pobre.
Tudo haverão de expiar, até que paguem o último centavo...
Não será fácil...
Imaginam estes honoráveis senhores que haverão de entrar no Reino sem se depojar de suas riquezas e bens, os quais alias não poderão carregar ou enterrar consigo...
Eles imaginam e a imaginação do homem é poderosa...
Mas eu leio na parabola do Rico e do pobre, que Lazaro foi levado pelos seres espirituais a grande comunhão, enquanto que Finéias, símbolo de todos os ricos, foi mandado a expiação e que lá sofria espiritualmente queimado pelo remorso...
Certamente que não sou Ebionita.
Sei que a pobreza de per si não salvará a quem quer que seja e que o cristão comum é chamado a uma vida de equilibrio e comodidade e não a uma vida de pobreza...
Seja como for tanto a vida moderada, quando a pobreza voluntária abraçada por nossos monges expressam uma bemaventurança: bemaventurados os pobres em espirito, pois entrarão no Reino dos céus...
Evidentemente que não seriam espiritualmente pobres se suas preocupações incidicem sobre como acumular bens e mais bens neste mundo...
Estranha pobreza espiritual essa que vive de juntar bens materiais... Confeso que não lha compreendo.
Não eu não creio que a pobreza, especialmente a pobreza imposta pelas estruturas sociais, tenha qualquer valor em si mesma ou um valor salvífico.
Sem embargo não creio na salvação dos ricos e milionários.
Creio em Cristo e no que ele disse e só crerei na salvação dos nababos e banqueiros quando me mostrarem uma corda ou um camelo passando pelo fundo duma agulha.
Enquanto não testemunhar tal portento não crerei na redenção dessa casta de opressores...
Entretanto, se não creio na salvação pela pobreza, não posso deixar de divisar nessa pobreza e nessa miséria, que comportam tantos e tantos padecimentos e martirios, uma figura ou um simbolo do Cristo padecente, de Jesus Crucificado, do Senhor agonizante e do calvário que é a máquina ou a empresa...
De alguma forma o proletariado se identifica com Cristo e encarna sem saber suas virtudes, sofrendo muitas vezes sem abrir a boca...
Mas não posso nem devo ir mais adiante...
Porque o Cristo quiz sofrer livremente... por isso seu sofrimento é fecundo.
O pobre porém sofre e padece sem o desejar e sem ter esperança de salvação, por isso seu sofrimento não é fecundo mais corrosivo! Acido que corrói toda piedade e pelo qual o ódio semeado por muitos se manifesta...
Ai desses Anazes e Caifazes, ai desses Herodes e desses Judas, ai até mesmo desses Pilatos que levam o pobre encadeado a esse calvário e que fazem verter seu sangue por terra...
E quando sangue for pedido por sangue e o sangue dos sacerdotes e reis for derramado, e misturado com o do povo, quem distinguirá um do outro?
Cristo saberá qual é o sangue do oprimido, que ao desesperar-se quebrou suas cadeias e o do opressor...
Cristo saberá investigar e discernir as verdadeiras causas de todas essas anomalias...
Então o pobre sairá justificado, porque lutou pela justiça e o rico condenado porque lutou por riquezas...


Domingos Pardal Braz

Nenhum comentário: