domingo, 18 de outubro de 2009

Um outro enfoque sobre o pentecostalismo...

Outro aspecto referente não apenas ao petecostalismo, mas a RCC, e a certos 'centros' espiritistas (exceto os ligados a FEB)no tempo presente e ao catolicismo popular no passado, é ou era a promoção do emocionalismo...

Por emocionalismo refiro-me a todo um ambiente adrede preparado com o intuito de despertar emoções fortes no sujeito.

Um ambiente que envolve ritmos, sons e gestos com o intuito de que a sensibilidade ou a emotividade dos frequentantes seja levada a uma intensidade máxima expressando-se por movimentos extremamente rápidos, gritos, tremores, gargalhadas, sorrizos, etc sem que contudo o sujeito perca por completo sua consciência.

Partindo do suposto mas razoavelmente provavel segundo o qual cada um de nós comporta certas forças, energias e potencialidades recalcadas pelas convenções sociais ou pela lei moral, tais manifestações extremas de emocionalismo parecem significar uma liberação consciente de tais forças e energias e sob tal aspecto uma espécie de fúria ou loucura sacra como já os pagãos designavam tais tipos de culto, no caso consagrados a Dionisios ou a Cibele, divindades bárbaras importadas da Trácia.

Tais são os fatos e de minha parte subemeto-os as apreciações da psicologia, a qual admitindo que seja uma ciência com seus métodos e instrumentais especificos atribuo constatações objetivas e verídicas que recebo com a mesma submissão com que no terreno da revelação e da fé recebo a doutrinação do Evangelho.

Pois não reconheço e me recuso a reconhecer qualquer possibilidade de contradição entre a verdade revelada e a verdade natural, enquanto expressões distintas do mesmo Ser.

Evidentemente que nem todos os psicologos se sentem a vontade para se expressarem livremente a respeito do fenômeno religioso seja por questão meramente financeira, por respeito humano ou por receio de represálias já dos fanáticos, já das agremiações religiosas, cada vez mais poderosas e influentes.

Diante de tantas pressões parte dos psicologos e psiquiatras preferem calar... ou contemporizar...

E assim o barco vai correndo...

E vira e mexe nos deparamos com os meios de comunicação noticiando que certo adepto desta ou daquela seita religiosa matou sua esposa, seus filhos ou seus vizinhos orientado por visões ou vozes oriundas do céu...

Obviamente que não se trata dum fenômeno exclusivamente adito ao pentecostalismo, pois foi observado igualmente nos pódromos do baixo espiritismo ou do catolicismo popular, sendo comum porém a seguinte caracteristicas: que em todos estes locais ou cultos o emocionalismo do futuro criminoso foi potencialmente alimentado...

Característica que no momento presente é tanto mais típica e característica do pentecostalismo e da RCC enquanto môdelos religiosos em franca expansão.

Entretanto já há quase cem anos nossos pesquisadores como Henrique Roxo e Franco da Rocha - dentre muitos outros - alertavam os adeptos do baixo espiritismo a respeito de que a atmosfera emocionalista de tais cultos, predispunha certa categoria de pessoas a uma série de distúrbios neurológicos ou metais relativamente graves. O que já havia sido assinalado pelos confrades dos Drs Pinel e Esquirol com relação ao puro e simples fanatismo religioso... verdadeira patologia ou enfermidade religiosa.

Vez por outra algum sábio ou catedrático vem a baila com o intuito de denunciar essa grande vergonha que é a menutenção ou vigência do ritual de exorcismo por parte do Vaticano.

A crítica é assaz oportuna já porque a moderna hierarquia da igreja papólica, pretende passar por amiga ou aliada do conhecimento científico.

E no entanto parte dessa hierarquia recusa-se a abolir este ritual nefasto e supersticioso.

Julgo porém que seja tanto mais grave a situação dos cultos pentecostais pois é sabido que o exorcismo faz parte efetiva deles. Não no sentido vulgar em que o culto tenha sido convertido num ritual ou show de exorcismo (neopentecostalismo) mas no sentido - e não sejamos hipócritas - habitualmente alguém 'cai' durante os cultos e é conduzido a saleta...

Costume retomado com grande escândalo - por parte da hierarquia papólica - pela RCC.

Tais cenas foram observadas por nós mesmos tanto no pentecostalismo quanto na RCC...

E no entanto a dita possessão é uma patologia mental - Transtorno dissociativo de personalidade - que deveria ser tratada por um especialista na área de psiquiatria e não por um leigo e/ou charlatão as vezes na base do tapa...

Na minha cidade diversas pessoas chegaram a ser literalmente surradas tanto na Igreja papólica quanto na IURD e na Deus é amor sob a alegação de que estavam possuidas pelo capeta. Mortes chegaram a acontecer e o pior de tudo é que querendo ou não estão diretamente relacionadas com Cristo, seu Evangelho e o divino Espírito Santo, promovendo revolta, indignação e endurecimento nos rincões da incredulidade.

Rincões que deveriamos já ter ganho pelo testemunho de nossas obras...

E no entanto parte da Cristandade parece endivar todos os seus esforços com o intuito de promover escandalos e sitações constrangedoras em torno no exelço nome de nosso Mestre amado. (como se as inquisições e o capitalismo não o bastassem)

Mas não chegamos ainda ao fundo do poço...

Pois enquanto a possessão ocorre mais ou menos expontaneamente ou é desenvolvida num ambiente alheio ao pentecostalismo e muitas vezes profano, o transe ou possesão pelo espírito santo - que objetivamente em nada se distingue da outra possessão - é francamente buscado e cultivado pelos crentes...

E no entanto cientificamente falando o transe é uma patologia mental ou no mínimo um estado anormal e predisponente ao desenvolvimento de patologias mentais gravíssimas como a histeria e a esquizofrenia...

Não compreendo pois como pessoas sérias e inteligentes possam compactuar com atitudes tão sérias quanto as implicadas no desenvolvimento do transe e suas nefastas consequências.

Consequências que, ao menos aparentemente, eram sabidas até mesmo pelo apóstolo Paulo - o qual condenou irremissivelmente esta prática ao afirmar que os profetas são senhores do Espírito de profecia (e não meros instrumentos mecânicos em suas mãos como as pitonisias pagãs) - e dos Bispos do século segundo que condenaram como espetaculosos e vãos os transes de Montano e seus seguidores...

É o transe um estado anormal e perigosissimo durante o qual forças reprimidas, atavicas e destrutivas acabam por assumir o controle duma personalidade sugestionável e por dirigi-la...

Sou testemunha a respeito do caso duma senhora - aparentada conosco - que ficou perturbada das faculdades mentais após ter tentado desenvolver a mediunidade e consagrar-se frequentemente a auto sugestão e ao transe...

Como sou testemunha quanto a um bom número de pessoas mentalmente perturbadas que ficaram ainda mais perturbadas após aderirem ao pentecostalismo, embora algumas - tal e qual se sucedia com o espíritismo - delas, postas em tais ambientes de histeria coletiva, acabem recobrando parte da sanidade perdida. Daí as estórias sobre pessoas curadas de loucura...

Tal se sucedeu com outra parenta minha, e no entanto ela jamais recobrou a sanidade por completo mas apenas em parte ou quanto ao necessário para poder viver em sociedade.

Sirvam todos estes exemplos como demonstração sobre a intima relação existente entre o emocionalismo, o transe e a saúde mental.

E no entanto, leigos, sem nenhum conhecimento de psiquiatria, manipulam tais fenômenos.

E sacralizam deste modo enfermidades que deveriam ser sanadas caso possuissemos um sistema de saúde decente.

Pois a própria ineficiência do sistema público de saúde no que diz respeito a saúde mental, faz com que tais pessoas, espicaçadas pelo desespero, lancem-se nos braços do primeiro taumaturgo que apareça...

Outro aspecto a ser considerado a respeito de tais cultos e que também se encontra classificado como patologia é o da hetero sugestão ou da lavagem cerebral.

Queremos dizer com isto que tais situações de emocionalismo, histeria e transe acabam servindo como de expediente a hipnose e ao controle mental por parte de líderes inescrupulosos. Nestes casos, que são dos mais tristes, as pessoas mais sugestionaveis acabam transformando-se em verdadeiros zumbis ou escravos mentais desfazendo-se de seus bens, envolvendo-se fanaticamente em trabalhos voluntários em prol da instituição religiosa, rompendo com seus familiares e amigos e submentendo-se as maiores provas com o intuito de obedecer ao líder na medida em que creem ser deus quem se manifesta e comunica através dele...

Quando por vezes, ao cabo de anos e anos de alienação e escravidão tais pessoas caem em sí e tornam ao estado de normalidade, é quase inevitável que entrem em crise de depressão e venham a morrer ou a cometer suicidio tendo em vista o tempo e os bens que vieram a perder dedicando-os a causa tão humana...

Vez por outra somos informados pelo noticiário sobre tais pessoas e geralmente rimos diante de sua boçalidade, isto porque ignoramos por completo o que seja uma seita e quais sejam as táticas de que seus lideres se utilizam com o perfido intuito de encanta-las.

Ora, todos estes golpes supõe um amplo domínio de esquemas psicológicos que fragilizem e dissociem as personalidades, como ritmo, gestos, o emocionalismo e o transe, etc e que não podem deixar de causar danos irreverssiveis as mesmas.

Assim o que para alguns não passa dum momento de relachamento e de descontração para um grande número de pessoas acaba convertendo-se em fonte de anomalias e transtornos já neurologicos, ja mentais como a histeria, a esquizofrenia e a dissociação...

Tais nomes e classificações podem soar estranhamente a alguns de nós mas comportam algumas das situações existênciais mais degradantes que seriamos capazes de imaginar.

E no entanto ao menos parte e parte significativa dos pentecostais brincam em torno de tais nomes e conceitos como se não significassem absolutamente nada.

Somos portanto obrigados a acusar seus lideres e apologistas de omissão e cinismo diante das condições mentais de ao menos parte de suas ovelhas.