segunda-feira, 31 de maio de 2010

Desimpedidos para Deus

DESIMPEDIDOS PARA DEUS


"Com efeito, que os cuidados da vida presente podem também, algumas vezes, atingir-nos a nós que não nos imiscuimos nos actos deste mundo, prova-se pela evidência, segundo a regra dos anciãos, os quais declaram que tudo o que excede a necessidade da subsistência quotidiana e a inevitável exigência do corpo é levado à conta dos cuidados e preocupações deste mundo: como, por exemplo, se, quando o trabalho no valor de um soldo é suficiente para obviar à necessidade do nosso corpo, nós queremos torturar-nos a nós mesmos com um trabalho e fadiga mais esforçados para ganhar dois ou três; se, quando duas túnicas bastam para nos cobrir, isto é, uma para noite, outra para o dia nós procuramos tornar-nos donos de três ou quatro; se, quando uma ou duas celas bastam para habitarmos, nós, seduzidos pela ambição e grandeza do mundo, construímos quatro ou cinco, e estas bem mobiladas e mais espaçosas que o necessário, deixando transparecer, naquilo que nos é possível, a atracção da cobiça deste mundo".

(João Cassiano, em "Da oração". Editora Vozes, p. 22)