sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Levando pessoas ao Cristo


E vieram ter com ele conduzindo um paralítico, trazido por quatro. E, não podendo aproximar-se dele, por causa da multidão, descobriram o telhado onde estava, e, fazendo um buraco, baixaram o leito em que jazia o paralítico. E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, perdoados estão os teus pecados (Marcos 2.3-5).


Há muitos que estão feridos demais para irem sozinhos à Cristo. Estarão paralíticos, sem forças para irem por si próprios até onde está a cura. Precisarão da ajuda de amigos para poderem chegar aos pés do mestre. Ouvi um ditado dito por um islâmico que me impressionou muito, que dizia: "ai daquele que não tem amigos, pois não terá quem o carregue na sua dor".

Ocorre que neste caminho haverá muitas dificuldades. A multidão poderá ser um grande obstáculo até o Cristo; e não há jeito, para que haja a cura, a necessidade será de um encontro pessoal. Talvez o telhado precise ser removido. Talvez outras coisas precisem ser retiradas também. Há a necessidade de esforço pessoal. Há por exemplo, pessoas que não têm condição de sairem de suas casas, se não tiverem ajuda, carona. É preciso lançar um olhar para estes que não têm a mínima condição de agirem por si só, ainda mais em um sistema que valoriza as pessoas por aquilo que elas podem produzir.

Mas o que é bastante constrangedor para qualquer teólogo, foi a afirmação do evangelista: E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, perdoados estão os teus pecados. Jesus perdoou os pecados daquele homem com base na fé demonstrada por seus amigos. Ou seja, daqui podemos extrair uma importantíssima lição: Jesus honra a fé daquelas pessoas que levarem amigos feridos à Cristo.

Entretanto, a afirmação mais surpreendente para aqueles que presenciaram a cena foi a de que os pecados daquele homem, o paralítico, estavam perdoados. Provavelmente, ele não foi levado até Jesus para ter seus pecados perdoados, mas sim para ser curado. Mas ser perdoado é o mais importante diante de Deus. Se você continuar lendo a continuação do texto, verá que alguns não gostaram da afirmação de Cristo, perdoando os pecados daquele homem, por acharem que tal prerrogativa pertece somente a Deus (vers. 7). Daí, Jesus desafiou-os dizendo: "o que é mais fácil, dizer que os seus pecados estão perdoados, ou dizer, toma o teu leito, levanta-te e anda?" (vers. 9).

Obviamente, diante dos homens, é mais fácil dizer que os pecados de alguém estão perdoados do que dizer a um paralítico, "levanta-te e anda", e o tal ainda sair andando. E aqui, aprendemos outro princípio importante: Quem pode o mais, pode o menos. Jesus disse à aquele homem que andasse, e ele andou. Se ele fez o que era mais díficil aos olhos daqueles fariseus e saduceus, também poderia fazer o mais fácil, qual seja, perdoar pecados.

Resumindo. Precisamos ficar atentos para ajudarmos aqueles que não têm força própria para irem à Cristo; e podemos ter confiança que encontrarão a cura diante do Mestre, pois este honrará a nossa fé, ainda que muitos olhem com desdém, olhar crítico ou incredulidade.