segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Don Richardson no Brasil


Ontém tive a oportunidade de assistir a uma palestra de Don Richardson, antropólogo cristão, na Igreja Evangélica Manaim, em São Paulo.

O mencionado autor possui diversas obras que geralmente são muito estudadas por seminaristas evangélicos, como “O fator Melquisedeque”, o “Totem da paz”, etc. Ele é também um dos mais entusiastas defensores da idéia de que, em toda cultura, há elementos que podem ser utilizadas como “ponte” para a proclamação do evangelho, como se Deus tivesse deixado um testemunho de Si em cada cultura.

Impressionante mesmo são as histórias da experiência do próprio Richardson. Desde um povo que se converteu por causa da passagem em que Jesus cura um cego com o seu cuspe (ritual que os líderes da tribo costumavam utilizar), até outra que tinha o seu próprio batismo que simbolizava um novo nascimento e a paz entre tribos rivais.

Além do que, foi impressionante como o pastor Don enfatizou a universalidade da benção evangélica sendo anunciada desde os tempos de Abraão, quando este era agraciado com a promessa de que através dele, representantes de todas as famílias na terra seriam abençoados, tendo tal fato sido coroado na descrição final dos salvos em Apocalpise, com representantes de toda lingua, tribo e nação.

E além de tudo, o homem ainda mostrou-se um pintor de mão cheia, em que retrata o estilo de vida e a paisagem dos locais em que trabalhou como missionário. É sempre bom ver artistas no meio evangélico.

Mas bom mesmo foi ver um senhor, pastor e missionário, com seus 75 anos, cheio de entusiasmo e alegria pela causa do evangelho.