sábado, 5 de março de 2011

PASTOR É ATACADO POR ORAR POR ENFERMOS NA ÍNDIA

ÍNDIA (32º) - Hari Shankar Ninama, de 65 anos, é pastor e orava numa casa pela cura de um garoto de oito anos, quando, pelo menos 10 extremistas hindus chegaram de motocicletas e invadiram a residência do enfermo, localizada no estado do Rajastão, Índia. O caso ocorreu no início de fevereiro.

Os agressores imediatamente o imobilizaram. Ninama foi colocado em uma das motos e levado à força até uma estrada próxima à cidade de Peepal Khoont, que fica no distrito de Pratapgarh. Lá o pastor foi despido completamente e surrado.

Após o ataque, os sequestradores roubaram o relógio, o celular e a pequena quantidade de dinheiro que Ninama carregava. Ele ainda está sofrendo com os traumas físicos e emocionais.

A família do pastor pediu à polícia que não prossiga com as investigações, por medo de novas violências, uma vez que eles moram há apenas 17 quilômetros do local do ataque.

O pastor identificou dois de seus agressores como Dhuliya e Gautam; os demais ainda não foram identificados.

“Eles me insultaram com palavrões e me acusaram de forçar conversões de hindus ao cristianismo, além de me obrigarem a repetir palavras que eles diziam”, contou o pastor ao Compass, ainda gemendo de dor.



Os malfeitores o despiram às margens da estrada principal fora da cidade. “Ali, eles me espancaram de novo sem piedade, com madeiras, socos e chutes. Antes de me abandonarem ferido e completamente nu à beira da estrada, me roubaram o celular, minha agenda, documentos, o relógio de pulso e 500 rúpias (o equivalente a 25 reais). Antes de fugirem, ameaçaram me matar se eu continuasse a pregar o cristianismo”, relata.

Como começou

O pastor Hari Shankar Ninama contou à agência de notícias Compass Direct que visitava sua filha, Galadh Mangiya Bujh, na cidade de Ambarunda, quando a vizinha dela, Lasiya Bujh, pediu que ele fosse até a sua casa orar por um filho doente.

“Quando comecei a orar pelo menino, um grupo de pelo menos 10 homens, invadiu a casa, interrompeu a oração e começou a me agredir”, contou o pastor.

Outras pessoas aguardavam orações na casa da filha do pastor e testemunharam o ataque. É o caso de Paasu Dindore, que relata: “Eles bateram em Galadh, a filha do pastor, e também no pai do menino enfermo. Eu estava lá para pedir que o pastor Ninama orasse por mim, e logo que a violência começou, eu fugi e pude assistir o restante do episódio de uma distância segura.”

Ameaça: “Se continuar pregando incendiaremos a casa de sua filha”

O inspetor de polícia da cidade, Bhagwat Singh, revelou que a família do pastor estava temerosa que a investigação policial pudesse provocar uma retaliação dos extremistas. A filha e o genro de Ninama compareceram à delegacia para pedir aos policiais que abandonassem o caso. Singh informou que as investigações foram interrompidas.

Um cidadão do local, Sunny Meda, relatou que os radicais tinham ameaçado incendiar a casa da filha do pastor se a polícia os molestasse. “Por três dias, Galadh e sua família, não puderam deixar a cidade nem ir ao mercado”, contou Meda. “Há medo e pânico nas famílias cristãs da cidade.” A polícia ainda não fez nenhuma prisão.
Dindore, que é membro da igreja doméstica dirigida pelo pastor Ninama, contou que não há cultos desde o ataque. Embora debilitado, o pastor Ninama disse ao Compass que continuará a evangelizar nas cidades vizinhas e a orar pelas pessoas sempre que for chamado.

O inspetor Singh confirmou que o sacerdote caminhou despido por sete quilômetros, do local do crime até a delegacia de polícia. “Eu o vesti imediatamente quando ele chegou ferido e nu à delegacia”, contou Singh.

O pastor preencheu um boletim de ocorrência, e a polícia registrou o caso como lesão corporal dolosa, constrangimento ilegal, difamação e atentado com intenção de provocar distúrbio da paz, formação de quadrilha, e perturbação de um encontro religioso.

Boletim Médico

O pastor recebeu assistência por dois dias na emergência do Centro Médico Mahatma Gandhi, sendo transferido depois para um hospital particular. O Dr. Ravi Upadhaya informou que Ninama sofreu ferimentos físicos e abalos emocionais.

“O paciente sofreu escoriações em muitas partes do corpo, com equimoses e manchas roxas nas costas e coxas”, informou o Dr. Upadhaya. “Ele está também com uma grande ferida na nuca que sangrou bastante, e reclamou muito de dores internas no peito. Porém, mais do que os traumas físicos, este homem de 65 anos está mentalmente traumatizado”, concluiu o médico.

O pastor recebeu alta do hospital em 11 de fevereiro, mas continua se queixando de fortes dores. Interceda por ele.

Quem é o pastor Ninama

Agricultor de profissão, o pastor Ninama se converteu do hinduísmo ao cristianismo há 12 anos. Ele e sua esposa têm seis filhas e dois filhos. Ele dirige uma igreja doméstica com cerca de 40 membros, que moram na sua cidade e em vilarejos próximos, incluindo o lugar onde aconteceu o ataque.

O Partido do Congresso está no poder no Rajastão, com Ashok Gehhlot como ministro-chefe desde dezembro de 2008. Anteriormente, governava o Partido Bharatiya Janata, que conseguiu aprovar uma controvertida “lei anticonversão”, que classifica como ilegais as conversões “forçadas ou fraudulentas”, e que costuma ser usada frequentemente para molestar os cristãos com falsas acusações.

A lei diz que “conversão” é um crime inafiançável, sujeito à prisão imediata com pena de até cinco anos. Esta lei, no entanto, tem recebido forte oposição do governo da atual presidenta da Índia, Pratibha Devisingh Patil.




Tradução: Joel Macedo

fonte: http://www.portasabertas.org.br/noticias/noticia.asp?ID=6927