quarta-feira, 13 de julho de 2011

Amando os inimigos

Lectio:

Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo.

Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus;

Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos.

Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tereis? Não fazem os publicanos também o mesmo?

E, se saudardes unicamente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os publicanos também assim?

Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus.


Meditatio:

Jesus não nos ordena nada do que ele mesmo não tenha feito.

Talvez você já tenha percebido; todos os mandamentos do sermão do monte são modos de nos identificar plenamente com a vida do próprio Cristo. Nos unimos mais a ele quando vivemos o que ele viveu. "Quem diz estar nele, deve andar como ele andou" (I João 2.6)

Ele amou seus inimigos, não retribuiu mal com o mal. De acordo com o Apostolo Paulo, Jesus nos reconciliou com o Pai quando ainda éramos seus inimigos: "Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida". (Romanos 5.10).

Os inimigos virão, inevitavelmente. Não é fácil amá-los.

O publicano era, talvez, a pior classe de pessoas que se poderia conhecer nos  tempos de Jesus, e este afirma que mesmo para aqueles era muito fácil amar somente quem os amava.

Sobrenatural é amar quem nos odeia.

Isto é ser perfeito, segundo o texto. Amar os próprios inimigos.

Você tem algum inimigo?

Ame-o.