quarta-feira, 17 de julho de 2013

Debate entre calvinismo e arminianismo




Debate sobre o primeiro dos cinco pontos do calvinismo no Programa Vejam Só tendo como representante do calvinismo o Chanceler do Mackenzie Dr. Davi Charles e como representante do arminianismo o Bispo José Ildo Swartele de Mello da Igreja Metodista Livre. Como já era de se esperar, quanto a este tópico, não houve muita discussão. A posição do Dr. Davi foi bastante razoável a respeito e houve concordância. Passamos, então a discutir questões relacionadas ao livre-arbítrio, graça-preveniente, graça irresistível, expiação ilimitada ou limitada, determinismo etc.

Neste curto debate, procurei falar a verdade em amor. Tomei cuidado para não atentar contra a unidade do Corpo de Cristo. Lembrando das palavras de Wesley: "se o teu coração é igual ao meu, dá-me a mão e meu irmão será!" O tom do debate foi muito respeitoso!

Seguem as 6 perguntas que preparei para este debate, mas só 3 foram feitas devido a limitação de tempo. Por falar nisto, até me surpreendi quando o Eber disse que o programa chegara ao fim, pois, como ele havia dito que cada um de nós faria 6 perguntas e que cada um teria 3 minutos responder a cada uma, e porque também, no final, eu só havia feito e respondido 3 perguntas, nem atentei para o relógio, e fiquei com a nítida impressão de que estávamos na metade do debate e que eu ainda teria bastante tempo para argumentar. O tempo é cruel. Só deu para arranhar o assunto!

Perguntas


1) Se os calvinistas estão certos em afirmar que o homem é totalmente incapaz de responder a Deus com arrependimento e fé, então, como interpretar os inúmeros textos bíblicos que ordenam que todos os homens se arrependam e tenham fé em Deus? tais como:
  • "Mas Deus, não levando em conta os tempos da ignorância, manda agora que todos os homens em todo lugar se arrependam" (At 17.30).
  • "Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens, ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente" (Tt 2:11-12).
  • Vinde a mim, todos os que estai cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei (Mt 11.28).
  • Ora, no seu último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim e beba (Jo 7.37).

2) Estaria Deus blefando todas as vezes que disse aos homens que eles tinham reais opções e poder de decisão? E olha que não são poucos os textos neste sentido. Um exemplo bem claro, e que aconteceu exatamente depois da Queda, é este: O Senhor disse a Caim: 
  • "Por que você está furioso? Por que se transtornou o seu rosto? Se você fizer o bem, não será aceito? Mas se não o fizer, saiba que o pecado o ameaça à porta; ele deseja conquistá-lo, mas você deve dominá-lo". (Gênesis 4:6-8). 

3) Como você interpreta o fato de Jesus culpar as cidades de Corazim e Betsaida por sua falta de fé e arrependimento, pois receberam milagres e manifestações da graça suficientemente fortes para crerem e se arrependerem, mas mesmo assim não creram? Sinais estes que seriam suficientes para a conversão de Tiro Sidom e Sodoma conforme as seguintes palavras de Jesus:
  • Ai de ti, Corazim! ai de ti, Betsaida! porque, se em Tiro e em Sidom fossem feitos os prodígios que em vós se fizeram, há muito que se teriam arrependido, com saco e com cinza. Por isso eu vos digo que haverá menos rigor para Tiro e Sidom, no dia do juízo, do que para vós. E tu, Cafarnaum, que te ergues até aos céus, serás abatida até aos infernos; porque, se em Sodoma tivessem sido feitos os prodígios que em ti se operaram, teria ela permanecido até hoje. Eu vos digo, porém, que haverá menos rigor para os de Sodoma, no dia do juízo, do que para ti (Mateus 11:21-24). 
  • E você concorda com Jesus que o destino de Sodoma poderia ter sido completamente outro caso presenciassem os milagres que Jesus fez em Corazim, assim como aconteceu com os ninivitas que se converteram em vista do sinal de Jonas? 
  • O rigor para Corazin será maior do que para Sodoma porque receberam mais sinais, mais graças, tiveram mais chances, mais possibilidades reais, mas, em vez de abraçarem a fé e o arrependimento, decidiram fechar os olhos, escolheram permanecer nos seus pecados.
  • Não fica evidente aqui que eles resistiram a graça e por isto se tornaram ainda mais culpáveis? Não é óbvio também que sua sentença está sendo agravada porque poderiam ter agido diferente diante de tantas evidências, mas, assim mesmo, resistiram a graça e não se converteram? Não fica claro aqui também que até Sodoma teria se convertido se tivesse tido a mesma oportunidade? Não é patente o fato de que Jesus está impressionado com a falta de fé dos habitantes de Corazim e Betsaida, pois tinham todas as condições para crerem e se arrependerem e mesmo assim decidiram permanecer nos seus pecados? 

4) Em 2 Coríntios 5.11 e 20, Paulo diz: Uma vez que conhecemos o temor ao Senhor, procuramos persuadir os homens... Portanto, somos embaixadores de Cristo, como se Deus estivesse fazendo o seu apelo por nosso intermédio. Por amor a Cristo lhes suplicamos: Reconciliem-se com Deus. Como você também responde ao argumento de que se Paulo fosse um calvinista ele não teria escrito isto porque saberia que os eleitos não precisam ser persuadidos e os não eleitos não podem ser persuadidos. E, ainda neste mesmo sentido, também pergunto, se, como dizem os calvinistas, já está predeterminado quem irá para o céu e quem irá para o inferno, de que vale orar em favor da conversão dos não alcançados e de que vale o esforço missionário se a minha oração e a minha pregação não produzirá nenhum mudança no quadro dos eleitos? E Por que Paulo batalharia tanto em favor da conversão de judeus e gentios? Como ele mesmo disse ter feito: "Tornei-me judeu para os judeus, a fim de ganhar os judeus. Para os que estão debaixo da lei, tornei-me como se estivesse sujeito à lei, a fim de ganhar os que estão debaixo da lei. Para os que estão sem lei, tornei-me como sem lei, a fim de ganhar os que não têm a lei. Para com os fracos tornei-me fraco, para ganhar os fracos. Tornei-me tudo para com todos, para de alguma forma salvar alguns". (1 Coríntios 9:19-22). Se a eleição fosse incondicional e a graça e a salvação irressistivelmente oferecida, tal esforço de Paulo não faria o menor sentido. Pois, como os esforços de Paulo poderiam "ganhar mais" almas como ele diz ter ganho?

5) Hebreus 3.12-14 diz: Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do Deus vivo. 13 Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado; 14-Porque nos tornamos participantes de Cristo, se retivermos firmemente o princípio da nossa confiança até ao fim." (Hb 3:12-14 ACF) - Como poderia o soberanamente eleito, o irresistivelmente atraído eleito, se afastar de Deus? E como poderia o não eleito fazer algo que não seja se afastar de Deus? Como os calvinistas ensinam que a graça é irresistível quando há tantos textos que mostram o contrário: OS JUDEUS RESISTIRAM AO ESPÍRITO SANTO -- "Homens de dura cerviz, e incircuncisos de coração e ouvido, vós sempre resistis ao Espírito Santo; assim vós sois como vossos pais." (At 7:51 ACF). JESUS QUERIA, MAS ISRAEL NÃO QUIS E NÃO ACONTECEU -- "Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!" (Mt 23:37 ACF). DEUS ESTENDEU SUA MÃO PARA ISRAEL, MAS ISRAEL O REJEITOU -- "Mas para Israel diz: Todo o dia estendi as minhas mãos a um povo rebelde e contradizente." (Rm 10:21 ACF). "De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue da aliança com que foi santificado, e fizer agravo ao Espírito da graça?" (Hb 10:29 ACF)

6) O texto de Lucas 7.9 diz: "E, ouvindo isto Jesus, maravilhou-se dele, e voltando-se, disse à multidão que o seguia: Digo-vos que nem ainda em Israel tenho achado tanta fé." (Lc 7:9) - Os calvinistas dizem que o homem perdeu totalmente a capacidade de ter fé em Deus. Não podendo, portanto, responder ao Evangelho com fé, a não ser que Deus lhe conceda esta fé de maneira soberana e irresistível. Mas se fosse este o caso, como explicar a admiração de Jesus em face da fé do centurião? Por que Jesus elogiou a "grande fé" do homem se fosse algo meramente dado soberanamente por Deus?
Estaria Jesus sendo honesto ao dirigir-se a uma multidão dizendo: "Quem quiser pode vir a mim para receber a vida eterna", se fosse o caso de muitos ali estarem totalmente incapacitados a atender positivamente o seu chamado por não pertencerem ao grupo dos escolhidos?
Por que o diabo teria o trabalho de roubar a semente da Palavra de Deus de quem não tem a menor possibilidade de crer e se arrepender? O texto que lerei a seguir não indica que tanto da perspectiva de Jesus como também da do diabo, o homem possui sim capacidade para crer no Evangelho?
Os que estão à beira do caminho são os que ouvem; mas logo vem o Diabo e tira-lhe do coração a palavra, para que não suceda que, crendo, sejam salvos (Lc 8.12).



Para pensar

A graça e o amor de Deus para um calvinista são restritos e limitados aos que Deus predeterminou para a salvação antes da criação do mundo, os demais são desprezados, de modo que, por eles, Jesus jamais morreu. Ou seja, eles nunca foram objetos da graça e da compaixão de Deus e nunca tiveram a menor chance de salvação.

Ao meu ver, isto é incocebível com o caráter amoroso de Deus revelado em Cristo Jesus. Deus é amor! Deus amou o mundo de tal maneira! Deus não tem prazer na morte do ímpio, antes deseja que o ímpio se arrependa. Deus quer que todos sejam salvos! Somente que, quis Deus em sua soberania, que esta vontade não se impusesse pela força: "nem por força, nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos". 

Por isto, Jesus escolheu o caminho de atrair e salvar os homens por intermédio da cruz (lembrando que foi Ele mesmo quem criou os homens dotados do dom do livre-arbítrio em alguma certa medida, e tudo o que Deus faz tem uma razão de ser). Jesus veio ao mundo de modo humilde, nasceu em uma estrebaria em Belem, entrou em Jerusalém como um Rei manso e humilde, montado em um jumentinho, ou seja, manifestando-se de modo frágil e resistível. 

Mesmo após a sua ressurreição, Ele segue se apresentando de modo gentil, batendo a porta. Ele oferece salvação e luz, mas muitos não o recebem, amando mais as trevas do que a luz. Ele chora em vista da rejeição de Israel e segue chorando em vista de tantos que seguem resistindo a sua graça. Mas, a tantos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus! 

E agora, estes que o receberam, precisam permanecer nesta luz. Pois se andarmos na luz como Ele está na luz, temos comunhão uns com os outros e o sangue de Jesus nos purifica de todo o pecado. Portanto, Deus amou o mundo inteiro e está conclamando todas as pessoas em todos os lugares para que venham a Cristo para experimentarem o perdão e a reconciliação. Pois, Cristo fez expiação em favor dos pecados do mundo inteiro. Ele é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo! Portanto, se hoje você ouvir a voz do Espírito Santo, não endureça o seu coração. Podemos dizer com certeza a qualquer ser humano: Arrependa-se e creia no Evangelho! 

Esta é uma boa notícia para todas as pessoas! Deus não faz acepção de pessoas! Jesus veio buscar e salvar aquele que estava perdido! Deus ama você!

Um grande abraço a todos,

Bispo José Ildo Swartele de Mello

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...