sexta-feira, 23 de maio de 2008

casamento cristão versus desgate e incompatibilidade de gênios.

Por Eliane Garcia


O Apostolo Paulo nos ensina sobre o casamento dizendo que é melhor casar do que se abrasar(I coríntios 7.7-9) Logo, quem quiser ficar solteiro, quem acha que consegue viver sozinho sem se abrasar, faça também isso sem problema algum.

Deus não nos obriga a casar e nem a ficar solteiros, isso é uma decisão nossa, tão somente nossa; porém, uma vez que decidamos a nos unir em matrimonio com outra pessoa, Deus espera que seja para sempre e que não escandalizemos o reino de Deus nos divorciando por qualquer motivo, salvo claro, o adultério.

Minha abordagem aqui, entretanto, é de desgaste e incompatibilidade de gênio, ou brigas constantes por falta de entendimento.

O casamento cristão não pode ser hipócrita, do tipo “somos infelizes, mas não podemos nos separar porque somos cristãos”, claro que não. Tem que ser algo gostoso, um suprindo a necessidade do outro, buscando a felicidade do outro. Tem que procurar sim, resolver as questões que levam a um descontentamento na relação!

Não podemos deixar o mundo e a mídia influenciar a ponto de pensarmos que “o desgaste ou a incompatibilidade de gênios" é um motivo justo para um divorcio.

Sou casada há 10 anos, tenho duas filhas, e sem hipocrisia nenhuma posso dizer que Deus não me mandou casar, mas já que casei, quero viver até que a morte nos separe, desfrutando de um casamento feliz, onde busco satisfazer meu marido e ele a mim.

Não deixemos nos influenciar pela mídia de que o casamento é uma instituição falida, casamento pode sim, ser prazeroso, gostoso, e feliz.

Vejo pessoas que conhecem a palavra de Deus e saem de um casamento, expondo seus filhos a sofrer com um lar dividido por motivos tão torpes como desgaste na relação.

Acha-se mais fácil expor os filhos, escandalizar a obra de Deus, se aventurar em uma nova relação, iludir-se que essa nova paixão será livre da rotina, dos problemas, do que ir à raiz do problema, do que diagnosticar o que está faltando no casamento, no ponto em que erraram a ponto de deixarem esfriar aquele amor, aquela paixão que um dia os levaram ao altar.
Finalizo pedindo a Deus, que dê sabedoria, a nós casais, a vivermos um casamento sincero e compromissados a buscar a felicidade um do outro!

Um comentário:

Anônimo disse...

Acho incrível quando se diz, "é claro, o adultério". O adultério é visto como um pecado maior e acima de tudo, no casamento cristão. É pior que a violência de palavras, de gestos, é pior que tudo. Muitas vezes, o adultério, é uma relação com alguém por motivo de falta de carinho no casamento, uma tentativa de preencher um espaço vazio provocado por um casamento difícil.