quinta-feira, 9 de julho de 2009

Do contentamento com as coisas simples

 


“...tendo sustento e como o que nos vestir, estejamos contentes” (1 Timóteo 6.6)

Hoje, ensina-se totalmente o contrário para os crentes. Quem tem somente o que comer e o que vestir é ensinado a ficar muito infeliz, um desamparado. A se sentir um triste e fracassado. Ensina-se a não se contentar com nada, nem com a roupa que se tem, com a casa que se tem, com o carro, com a igreja que se frequenta, etc. Nunca se está contente com nada. Envenena-se o povo com o desejo daquelas coisas que nosso Senhor e os apóstolos ensinaram que dificultam ainda mais a entrada no Reino de Cristo e de Deus. Os que são de Cristo usam deste mundo, mas conscientes que sua aparência passa, daí, não colocarem em tais coisas o próprio coração. O cristão que for contente com o mínimo e necessário é a pessoa que, certamente, esta preparada para receber ainda mais da parte do Senhor. Mas há os que, não importa o quanto recebem, estão sempre descontentes. Estes já vivem o inferno dentro de si, são canais secos, vazios da presença de Deus. O cristão pode expressar verdadeiro contentamento nas coisas simples, pois sabe quem tem cuidado dele, e, que o seu maior tesouro está me seu próprio coração, que é Cristo, habitando cheio de amor e de glória.