sexta-feira, 30 de outubro de 2009

O ENGANO DO

PECADO


"exortai-vos mutuamente, cada dia, durante o tempo que se chama HOJE, a fim de que nenhum de vós seja endurecido pelo engano do pecado" (Hebreus 3.13)

Não existe ontém. Não existe amanhã. Só há o HOJE, o eterno HOJE. Não há um tempo que passa. Somos nós que passamos. O que importa é o momento presente. O eterno AGORA.

Importa a nossa condição diante do ETERNO que se revela no presente. O primeiro amor de ontém, já foi.

O problema do pecado, ou, o nosso problema com o pecado é que ele entra sorrateiramente, e, após adentrar furtivamente no castelo do nosso ser (Teresa D'Ávila) busca tomar conta dele, dominando-o. Uma vez instaurado, ele endurece o nosso coração, nos enganando, procurando impossibilitar o arrependimento.

O engano consiste em acharmos que nosso pecado é diferente, compreensível, desculpável, sem conseqüências.

Ledo engano. Aquilo que o homem semear, isto colherá. Ao termos nossa comunhão com Deus abalada pelo triste ato, ficamos como que "amortecidos", insensíveis a Deus e ao próximo, embrutecidos, e somente um novo ato de contrição e arrependimento pode nos livrar desta triste condição.

Não se deixe enganar pelo pecado. Não descanse nele. Não te fará bem.