segunda-feira, 15 de março de 2010

Reverência pela vida


"A Igreja Católica é radicalmente contrária ao aborto. Trata-se de uma postura ética que merece todo o meu respeito. Um teólogo católico, explicando a posição da Igreja na televisão, declarouu: 'Somos contra o aborto porque somos a favor da vida'. Fiquei encantado! Eu também sou a favor da vida. E Gandhi. E Albert Schweitzer. Reverência pela vida. É isso mesmo! É preciso ser a favor da vida. Uma das virtudes intelectuais dos pensadores católicos desenvolvidas através dos séculos, é a coerêncai lógica. Coerência lógica é aceitar todas as consequências de um princípio que toma como normativo. No nosso caso, o princípio de que toda a vida é sagrada. Se toda a vida é sagrada, então, juntamente com o aborto, devem ser colocados na lista dos pecados mortais tudo aquilo que contribua direta ou indiretamente para a morte. Hoje as armas matam um número infinitamente maior de pessoas que o aborto. Mas não conheço nenhuma atitude da Igreja contra a fabricaçáo, venda e posse de armas que se compare, em firmeza, com a atitude contra o aborto...



Também não conheço nenhuma atitude da Igreja contra a pena de morte. A Igreja Católica andou de braços dados com o generalíssimo Franco, ditador cruel de comunhão diária que matou muita gente no garrote vil. Eu pediria ao cardeal Ratzinger - quero preservar o seu nome - que exercite a virtude da coerência que ele tão bem exerceu na caça aos teólogos dissidentes".



(Rubem Alves, in "Ostra feliz não faz pérolas", Editora Planeta, p. 234)