sábado, 12 de março de 2011

Igreja Episcopal e Igreja Morávia em plena comunhão nos EUA

A Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação reporta que morávios e episcopais americanos assinaram um acordo de plena comunhão, o que envolve reconhecimento mútuo de sacramentos e ordens e elaboração de um plano de ações conjuntas.

Várias províncias da Comunhão Anglicana têm buscado realizar diálogos paralelos com igrejas irmãs, assim fortalecendo a caminhada ecumênica. Em vários casos, acordos de plena comunhão foram estabelecidos com igrejas que, apesar de algumas diferenças doutrinárias, concordam com a essência dos itens do Quadrilátero de Lambeth, a saber: as Sagradas Escrituras contendo “tudo aquilo que é necessário para a salvação”, os credos históricos da Igreja indivisa, os sacramentos do Batismo e da Santa Eucaristia e o episcopado histórico, com sucessão apostólica. Nestes casos de plena comunhão, é possível o compartilhamento de ministros, ordenação conjunta e elaboração de material comum, entre outras parcerias simbióticas.


 
A Igreja Morávia possui cerca de 900 mil membros em todo o mundo. É uma denominação pequena, mas de extrema importância para a História da Igreja, pois vem dos primeiros movimentos de Reforma na Europa. Surgiu na atual República Tcheca, no final do século XIV, através do trabalho de Jan Hus, que defendia o retorno de práticas comuns na época em que a Igreja em seu país estava sob a influência do Cristianismo Oriental (como a comunhão em duas espécies, a liturgia na linguagem do povo, o fim do celibato obrigatório para sacerdotes e a eliminação das indulgências). Tendo adquirido sucessão apostólica através de bispos valdenses, espalhou-se ao redor do mundo. Após anos de perseguição, veio a se estabelecer na atual Alemanha e depois na América do Norte. Foram pioneiros no trabalho missionário mundial e na expansão da hinologia cristã.

Outras igrejas em plena comunhão com províncias da Comunhão Anglicana incluem as igrejas luteranas do norte da Europa, dos Estados Unidos e do Canadá, a Igreja Filipina Independente, as igrejas vétero-católicas da Sé de Utrecht e a Igreja Malankara Siríaca Mar Thoma, da Índia.
-
Luiz Coelho
Membro do GT-Comunicação da IEAB


Fonte: IEAB.