quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Diálogo de um Professor de Teologia com um Pastor Pentecostal - Parte I

PASTOR: Eu não gosto muito deste negócio de estudar teologia. Prefiro a prática. Há muitas maluquices nestes seminários.

PROFESSOR: Mas qual o motivo desta desilusão com a teologia, pastor?

PASTOR: É que sempre que vi um cabra ir pro seminário, ele perde a fé!

PROFESSOR: Como assim?

PASTOR: Ele já não evangeliza com o mesmo ardor, já não crê com o mesmo temor..

PROFESSOR: Entendo o senhor. De fato, infelizmente isso acontece muitas vezes, mas não precisa ser assim.

PASTOR: Não sei não...

PROFESSOR: Houve na história muitos homens de Deus, que eram grandes estudiosos das Escrituras e da Teologia, e que foram homens de prática também, tanto da antiguidade cristã, como mais recentemente.

PASTOR: Cite alguém, por exemplo.

PROFESSOR: Da antiguidade temos Justino Mártir, Orígenes, Tertuliano, Atanásio, Agostinho, Tomás de Aquino... Da reforma pra cá temos o próprio Lutero, Calvino, John Owen, Crammer, Richard Baxter, C. S. Lewis, entre os protestantes... Mesmo muitos evangelistas foram grandes eruditos, como John Wesley, Charles Finney, Charles Spurgeon, Dr. Martin Loyd-Jones, Billy Graham... todos estes estudaram teologia... E não podemos esquecer o próprio apóstolo Paulo, que foi muito usado por Deus e era homem de grande erudição.

Recentemente faleceu um grande teólogo evangélico inglês, John Stott, cujos livros atingiram, se não me engano, mais de cem países e edificaram a vida de muitas pessoas, inclusive a minha. O senhor nunca ouviu falar dele?

PASTOR: Sim. Mas porque tantos hoje vão para o seminário e acabam esfriando na fé?

PROFESSOR: Podem existir inúmeros motivos para isso. Desde problemas individuais, até mesmo estruturais.

PASTOR: Fale dos estruturais.

PROFESSOR: Bom. No Ocidente, em algum momento, a Teologia deixou, em alguns lugares, de ser “serva da igreja” para se tornar uma disciplina acadêmica, destituída do seu aspecto espiritual, separada da vida devocional. Isso foi um golpe mortal em muitos seminários que trazem ainda esta tendência.

PASTOR: E tem cura para isso?

PROFESSOR: penso que sim, que é uma luta que temos que empreender para associar o estudo teológico com a devoção, a reflexão com a espiritualidade. Tais coisas não precisam andar separadas. A ausência da reflexão tem levado a abusos, erros tremendos, emocionalismos vazios. A erudição sem espiritualidade à frieza, dureza de coração, insensibilidade...

PASTOR: Entendo... Se for assim, vale a pena... Mas ainda assim, continuo preferindo mais a prática que o estudo de teologia.

PROFESSOR: Mas aí é que há um erro do seu raciocínio, pastor. Provo para o senhor que não existe prática sem uma teologia que a embase, que a fundamente....

Continua....