sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Seja feita a tua vontade


"Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu" (Mt 6.10);




Quando Jesus estava no Getsemani, orou assim: "Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua" (Lc 22.42).


Ele estava prestes a ser traído, entregado pelos homens, moído e transpassado por nossas transgressões, o que implicaria em levar os pecados de todos nós, e, pela primeira vez, ausência absoluta e total da presença do Pai em sua vida.


Mas ainda que não quisesse passar pela perda da comunhão divina, uma flecha no coração da Santíssima Trindade, ainda assim entregou-se totalmente ao Pai e "aprendeu a obediência por meio daquilo que sofreu" (Hb 5.8).

E como ovelha muda, "como ovelha que vai para o matadouro", ele não abriu a boca (Isaías 53.7).

Orar o Pai nosso é isso. É deixar de ter a própria vontade como soberana, para submetê-la à sobernania de Outro; àquele que conforme vimos é Deus Pai, Santo e Rei.

Ainda que isso signifique rasgar a própria carne, seja por dentro, seja por fora, como Cristo fez.

Dizer que a vontade do Senhor é "boa, perfeita e agradável" (Rm 12.1) remete-nos a um plano espiritual que não implica necessariamente em ausência de sofrimento e de dor; mas, se tivermos fé, saberemos que o resultado final será o melhor.

O povo cristão é assim. É um povo que anseia para que a vontade do Senhor seja feita em sua vida e em toda a terra.

Se somos discípulos, devemos viver assim também. Procurarmos discernir a vontade do Senhor, pelas Sagradas Escrituras, com a ajuda do Espírito Santo, e submeter nossa própria vontade à d'Ele.

Caso contrário, nossa oração do Pai nosso será vazia.

Você conseguiria discernir alguma área em sua vida que a vontade do Senhor não está sendo feita?

Apresse-se em arrepender-se, caso contrário, é por ai que virá a tua dor...