sexta-feira, 17 de maio de 2013

A divindade de Cristo



Lectio

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus” (João 1.1-2).

Meditatio

Cristo é o Verbo de Deus. Ele era no princípio. E o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Os cristãos compreendem que Jesus é Deus, estava com Deus, e sempre será Deus. O evangelho de João é o evangelho da divindade de Cristo, e da encarnação do Verbo. Jesus é verdadeiramente Deus e verdadeiramente homem. Quem não aceita a plena divindade e humanidade de Jesus coloca-se de fora de um das doutrinas cristãs mais importantes da história do cristianismo.

Isso porque, se Jesus não for Deus, estamos errados em adorá-lo. E a igreja O adora desde sempre. Se Ele for menos que Deus, não podemos mais chamá-lo de Salvador, pois somente Deus é Salvador. Se Jesus não for Deus, não podemos chamá-lo de Senhor, pois somente Deus é Senhor. Entretanto, a Igreja O chama de Senhor e Salvador desde o início. Se Jesus for apenas homem, criatura, a igreja estaria creditando a salvação da humanidade a uma criatura, e não somente a Deus. Por isso, um dos grandes mistérios da doutrina divina é que, Jesus, o Filho de Maria, é verdadeiramente Deus e verdadeiramente homem. Por isso, não há comunhão de doutrina entre um cristão e um muçulmano, pois este diz que Jesus foi somente um profeta. Também não há comunhão de doutrina entre um cristão e um espírita, pois este diz que Jesus foi somente um grande mestre, o maior de todos eles. Também não pode haver entendimento entre um cristão conservador e outro liberal, pois o último tende a identificar Jesus apenas como homem. Também o testemunha de Jeová e o Mórmon não acreditam na divindade de Jesus. Isso não é um julgamento pessoal, de caráter, mas sim uma análise doutrinária.

Actio

Muito mais do que aceitar mentalmente a doutrina da divindade de Cristo, o importante é saber como nos relacionamos com o próprio Cristo. Será que respeitamos e tememos a Cristo como ao próprio Deus? Se Jesus é Deus para nós, significa que devo admitir sua Palavra e seus ensinamentos como palavra e ensinamentos de Deus para a minha vida. A Palavra de Cristo, para o cristão, é normativa. Com isso, me refiro à Palavra de Cristo conforme, principalmente os Evangelhos, pois lá é que constam seus ensinamentos. Se toda a Escritura para nós é inspirada, as Palavras de Jesus contidas nas Escrituras merecem muito mais consideração.