sábado, 24 de agosto de 2013

A angústia de Esdras

"Ouvindo eu tal coisa, rasguei as minhas vestes e o meu manto, e arranquei os cabelos da cabeça e da barba, e me assentei atônito" (Esdras 9.3).

Os judeus tinham sido liberados pelos persas para voltarem e reconstruir Jerusalém. Havia voltado um grupo com Zorobabel, e agora Esdras estava incumbido de continuar os trabalhos. Maiores detalhes podem ser obtidos no próprio livro que leva o seu nome.

Esdras estava bem empolgado com o projeto de restauração da cidade. Ocorre que, quando menos esperava, ouviu a notícia de que os judeus estavam cometendo os mesmos erros dos seus antepassados e que levaram a sofrer a ira do Senhor. Entre tais erros:

"O povo de Israel, e os sacerdotes e os levitas não se separaram dos povos da terra com as suas abominações... pois tomaram das suas filhas para si e para seus filhos, e assim se misturou a linhagem santa com os povos dessas terras, e até os príncipes e magistrados foram os primeiros nesta transgressão" (Esdras 9.1-2).

Tais casamentos mistos implicavam na mistura de costumes sociais e mesmo religiosos que não eram lício a um judeu se envolver. Daí, a reação de Esdras, com tamanho ardor e desespero, pois os judeus estavam desperdiçando a chance de reconstruir Jerusalém, e correndo o risco de incorrer em nova ira da parte do Senhor.

Esdras então, fez confissão pelo povo, e colocou-se, ele mesmo como um dos pecadores que precisavam do perdão de Deus. Enquanto clamava, ele foi observado por boa parte do povo, influenciando-o a ponto de se arrependerem:

"Enquanto Esdras orava, e fazia confissão, chorando, prostrado diante da casa de Deus, ajuntou-se a ele, de Israel, uma mui grande congregação de homens e de mulheres e de crianças, pois o povo chorava com grande choro" (Esdras 10.1).

Esdras, com sua dor, sua angústia, seu desespero, sua oração, sua confissão, conseguiu promover um avivamento naquele local. Os judeus se arrependeram de seus pecados e recomeçaram a levar a sério a obra de restaurar Jerusalém.

Assim também nós, se quisermos ver um avivamento na igreja de nossos dias, precisamos chorar, clamar, nos angustiar, e sofrer pelo povo de Deus. Antes de ocorrer um avivamento, uma mudança, um maior comprometimento por parte do povo do Senhor, sempre há alguém que se angustia com o estado decadente das coisas. Sem angústia, não há avivamento.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...