quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Discipulado: o exemplo de Rute

"Disse, porém, Rute: Não me instes para que te deixe, e me obrigue a não seguir-te; porque onde quer que fores, irei eu, e onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus" (Rute 1.2).

É muito bonita a conhecia história de Rute, viúva do filho de Noemi. Esta havia deixado, juntamente com seu marido e dois filhos a cidade de Belém e ido para Moabe diante de uma fome que havia se abatido sobre sua terra natal. Seus dois filhos casaram com mulheres moabitas, mas posteriormente, ambos, bem como seu marido, morreram. Noemi determina então que suas noras voltassem para a casa de sua parentela, mas Rute se recusa, e diz que irá segui-la a qualquer custo. Uma linda história de fidelidade. Em que aspectos entendo que a história de Rute nos ensina acerca do discipulado?

Em primeiro lugar, vemos que Rute abandona tudo para estar com Noemi. E aparentemente, era melhor ter ficado em sua própria terra, na casa de sua parentela, onde tudo era mais conhecido. Entretanto, ela prefere deixar tudo para trás e seguir Noemi. Assim também nós com Cristo, deixamos tudo para trás, ainda que não vislumbrássemos exatamente o que viria depois. Mas como Abrão, assim também agiu Rute. Assim também fazemos nós em favor do evangelho e do povo de Deus.

Em segundo lugar, conforme você vai lendo o livro de Rute, percebemos que ela em tudo serve Noemi. Ela se esforça em trabalhos para não desamparar a sua sogra. Logo, ela, mulher moabita, passa a gozar da fama de mulher virtuosa. Nós também, em tudo procuramos servir à pessoa de Cristo, a fazer tudo para lhe agradar, a "sustentá-lo com os nossos bens" (Lucas 8.1-3). Essa fidelidade pode ser demonstrada na figura daquele que também nos discipula, o nosso discipulador.

Em terceiro lugar, Rute faz tudo o quanto Noemi determina. Ela sabe que sua sogra só lhe quer o bem. Noemi diz para ela se aproximar de Boaz, que seria o seu provável resgatador. Ela disse à sua sogra: "tudo o quanto me disseres, farei" (Rute 3.3). Ela praticamente entrega sua vida à Noemi. Assim também nós devemos ser com Cristo. Fazer tudo conforme ele nos ensinou. 

E abro também um parêntesis, neste caso, para falar da relação discípulo e discipulador. Geralmente, quando uma pessoa se achega ao evangelho, ela ainda não tem experiência na Palavra de Deus. Um bom discipulador pode ajudar a acelerar este processo de aprendizado, mas depende muito da boa vontade de quem está aprendendo. Em algumas oportunidades, eu peço aos novos discípulos que confiem em mim, por pelo menos alguns meses, no começo, e que não tomem nenhuma atitude precipitada que venha a causar grandes mudanças em suas próprias vidas. É realmente uma dor de parto. Ficamos tensos, pois parece que o inferno inteiro conspira para que tal pessoa seja tirada de nosso meio, como antigas paixões e compromissos, etc. Digo a verdade, não minto, que os discípulos que confiaram, não se arrependeram. Aqueles que se dispuseram a dar um voto de confiança, perseveraram no evangelho. Assim também nós precisamos de um ensinador humano, um cristão mais experiente na fé, que nos ajude e nos auxilie em nossa caminhada.

Enfim, quando terminamos de ler a história do livro de Rute, ficamos tremendamente emocionados na forma como ela foi abençoada. Mulher moabita, fiel a sua sogra, foi resgatada por Boaz, e gerou descendência à Obede, este a Jessé, e este ao rei Davi. E ela, mulher moabita, tornou-se parte da genealogia de Jesus Cristo, nosso Senhor!

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...