segunda-feira, 23 de junho de 2014

O filho sábio e o insensato

O filho sábio alegra a seu pai, mas o filho insensato é a tristeza da sua mãe (Provérbios 10.1)

Este é um provérbio que se verifica na prática, no dia a dia.
 
De uma mesma casa podemos extrair os dois exemplos. Um, de um filho que alegra o pai; outro, que entristece sua mãe.
 
Um deles é esforçado e trabalhador desde a mais tenra idade. Acorda cedo. Dorme tarde. É estudioso. Com o fruto daquilo que recebe, ajuda os pais.
 
O outro desde sempre não gosta muito de trabalhar. É ligado a prazeres. Muitas vezes, em vícios. É descompromissado, não para em nenhum emprego. Não dá satisfação em nada do que faz.
 
Por conta das atitudes deste segundo filho, os pais (a mãe principalmente) mal conseguem dormir. Muitos vivem até em estado de terror e angústia. Há filhos que até ameaçam.
 
Existe fórmula para resolver este tipo de embate? Não necessariamente. Somente a fé, o amor e a esperança. Com este aliados, se supera qualquer dificuldade.
 
Não adianta carregar complexo de culpa também. Há um momento na vida que cada qual parece fazer suas próprias escolhas. E alguns, sucumbem diante de seu próprio pecado.
 
Embora imagino que seja muito difícil, é importante os pais não se matarem por conta de um filho assim. É preciso amor, compreensão, carinho, e acima de tudo muita fé. Muitos anos podem levar, mas com a ajuda de Deus, muitos se recuperaram em suas transgressões e verdadeiramente mudaram de vida, voltando a alegrar os pais.
 
De qualquer modo, fica sempre um alerta para os pais. As Escrituras Sagradas nos dão determinados parâmetros, princípios para educarmos nossos filhos, e o maior deles, creio, além da fé e de nossas orações são o nosso companheirismo. Desviando-nos de polêmicas acerca de castigos corporais ou não, penso que a principal informação que extraímos do ensino divino é o próprio exemplo e o companheirismo. Companheirismo não no sentido de ser um amigão debochado. Ele precisa aprender acerca de autoridade e respeito. Isso fará bem a ele. Mas companheirismo no sentido de saber que também tem ao lado um amigo, um companheiro. Alguém que o ama e que dá a vida por ele. Que o ensina o tempo todo que tem oportunidade. E que estará sempre ao seu lado.
 
Um famoso pedagogo foi perguntado acerca do método que utilizou para educar seu filho. Ele respondeu: acho que nenhum; eu apenas vivi ao seu lado.

Um comentário:

Amélia Sales disse...

Com certeza; hoje as pessoas esqueceram do valor que é ser pai/mãe. Terceirizam o cuidado com os filhos para um cuidador e só se fazem presentes quando tem que corrigir. Falta companherismo, amizade, parceria.

Estou te seguindo, se interessar me segue também?!
Que legal, ótima iniciativa. Amei o blog !
Estou começando agora, Passa lá, estou te seguindo, se gostar do meu segue também.

http://amelialuanasales.blogspot.com.br/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...