sexta-feira, 15 de maio de 2009

O teólogo cristão


Quem é o teólogo?
Teólogo é aquele que discursa sobre Deus, conforme nos sugere a etimologia da palavra. Logos é discurso, é palavra, Theos é Deus.

Por isso, teólogo, no mínimo, é alguém que crê desfrutar de alguma comunhão com Deus, que julga conhecer um pouco o “objeto” de seu discurso, e não somente aquele que conhece o discurso de outros sobre Deus.

Neste sentido, qualquer cristão que tenha comunhão com Deus já é potencialmente um teólogo? Potencialmente, penso que sim; mas não necessariamente.

Isto porque, não é impossível que alguém possua conhecimento de Deus, mas não tenha necessariamente um discurso articulado sobre Ele. No caso da teologia cristã, alguém que discurse sobre Deus, sobre Cristo, e o Espírito Santo; sobre a auto-revelação de Deus nas Sagradas Escrituras.

Não é difícil alguém ter uma teologia ortodoxa, mas nenhuma comunhão com Deus. Alguns entendem aqui que está configurada a objetividade da teologia; qual seja, que esta não depende do estado espiritual daquele que a proclame, desde que a proclame corretamente, sem alteração. Alguém que decorou os cânones da Teologia Cristã. Talvez realmente isso seja possível, entretanto, tal pessoa poderá sofrer não pequeno prejuízo para a sua própria alma.

Também não desconhecemos a chamada “teologia científica”, que sequer pergunta algo sobre a comunhão com Deus; sequer se importa se tal coisa realmente existe. Esta se debruça sobre o que outros discursaram; não necessariamente sobre o objeto do discurso. Pensamos que este tipo de pensar teológico pouco tem a dizer para a comunidade cristã; e, pobre da comunidade cuja liderança estiver totalmente emergida nesta forma de fazer teologia. Tornará-se à como aquela figueira aparentemente bonita, mas sem nenhum fruto.

Uma teologia que não nos leve a um aprofundamento de nossa comunhão com Deus não nos parece realmente útil para a vida cristã. Se também não nos levar a construir uma comunidade fraterna, viva e alegre na presença do Senhor, também não será uma teologia espiritual. Se não nos levar a ser uma comunidade missionária, que proclame a auto-revelação de Deus para o mundo todo, também, a nosso ver, será uma teologia deficiente.

Por isso, a nosso ver, o ideal é que o teólogo cristão seja alguém que realmente busque uma profunda intimidade com Deus; não seja um pensador seco, sem vida. Também, para nós, o ideal é que o teólogo cristão seja alguém formado na comunidade cristã, e não somente na academia, por mais difícil que possa ser tal coisa hoje em dia, já que muitas vezes o teólogo é visto com desconfiança pela comunidade. E que, de alguma forma, sua “produção” venha a edificar outros irmãos, e, auxiliar na proclamação do evangelho para o mundo em que vive.