sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Miserável homem que sou

Por Carlos Seino
http://r-teologicas.blogspot.com/

"Miserável homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte"? (Romanos 7.24).


Alguns podem entender que esta expressão feita pelo Apóstolo Paulo se trata de algum momento de sua carreira cristã que ficou para trás, tipo no início de sua conversão.

Salvo melhor juízo, este era o posicionamento, inclusive de  John Wesley, que defendeu a doutrina da perfeição cristã. Paulo, segundo o grande autor, estava por expressar um tempo em que não era totalmente regenerado.

Entretanto, no meu sentir, isto não é verdadeiro, ainda que eu não duvide da santidade dos  que defendem tal ponto de vista.

Sou do entendimento de que a crise expressa pelo Apóstolo dos gentios no supramencionado versículo nos acompanha até praticamente o final de nossas vidas.

É a famosa expressão de Paulo da luta do Espírito contra a carne (sarx) que nos acompará, certamente, até o último de nossos dias: "Porque a carne luta contra o Espírito e o Espírito contra a carne: e estes se opõem um ao outro, para que não façais o que quereis" (Gálatas 5.17).

Como em toda luta, ha momentos que o Espirito vence, há momentos que a carne vence.

E os que dizem que não cometem pecados, fazem de Deus mentiroso (1 João 1.10), ainda que seja desejável que não o cometamos com habitualidade (1 João 3.6).

A diferença entre o ímpio e o fiel, segundo entendo, não é que um peque e outro não peque, ou que um peque mais, ou outro peque menos, mas sim o pesar no pecar, que é ausente no ímpio, mas presente na vida do fiel.

Nas palavras do Dr. Shedd, somos pecadores arrependidos, e não somente arrependidos...

Isto porque, o crente tem em si o Espírito Santo que se entristece quando ele peca.

Talvez, o amado leitor, sinta-se desqualificado para qualquer obra cristã que se sinta chamado, pois entende que é um pecador, e não pode dar nada para Deus.

Muito pelo contrário, prezado irmão. Você pode dar muito para Deus, e, de fato, tem dado, pois esta é a expressão de alguém que entendeu sua verdadeira condição diante de Deus.

Sua salvação é pela graça, do início ao fim.

O Senhor é contigo.

Paulo, provavelmente no final de sua carreira, escreveu ao seu filho Timóteo:

"Fiel é esta palavra e digna de toda a aceitação: que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal" (1 Timóteo 1.15)