quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Do contentamento com as coisas simples



“...tendo sustento e como o que nos vestir, estejamos contentes” (1 Timóteo 6.6)



Hoje, ensina-se totalmente o contrário para os crentes. Quem tem somente o que comer e o que vestir é ensinado a ficar muito infeliz, um descontente. A se sentir um triste e fracassado, e, além de tudo, um inconformado. Ensina-se a não se contentar com nada, nem com a roupa que se tem, com a casa, com o carro, etc. Nunca se está contente com nada. Envenena-se o povo com o desejo daquelas coisas que nosso Senhor e os apóstolos ensinaram que dificultam ainda mais a entrada no Reino de Cristo e de Deus. Esse é o grande veneno da Teologia da Prosperidade. Antes, se dizia que um rico dificilmente entraria no Reino dos céus. Hoje, que dificilmente os ricos não entrarão, afinal, demonstram que estão agraciados com a benção divina...

Este é o grande veneno da mencionada teologia, pois, utiliza-se de todo o linguajar cristão, aceita-se até os dogmas cristãos, mas mamon é o grande inimigo infiltrado... Isto está nas pregações, nos louvores, nas campanhas... enfim, é uma radical antropocentrização do cristianismo. Não é a toa que é tão popular...

Os que são de Cristo usam deste mundo como se não usassem, pois estão conscientes que sua aparência passa, daí, não colocarem em tais coisas o próprio coração.  Não blasfemam de Deus exigindo constantemente bens materiais, pois confiam naquele que ensinou a somente pedir o "pão nosso de cada dia". O cristão pode expressar verdadeiro contentamento nas coisas simples, pois sabe quem tem cuidado dele, e, que o seu maior tesouro está me seu próprio coração, que é Cristo, habitando cheio de amor e de glória.