quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Apokatastasis panton



Esse nome complicado aí do título diz respeito à restauração de todas as coisas em Cristo Jesus. Ou mais popularmente, a doutrina conhecida como Universalismo.

Em linhas gerais, diz respeito à tese que no final de tudo, todas as coisas, serão reconciliadas em Deus através de Cristo Jesus.

Uma das passagens preferidas desta turma que defende este ponto de vista está em Colossenses 1.20: "e que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus".

O teólogo mais famoso a defender tal doutrina, salvo melhor juízo, foi Orígenes (o da figura); que posteriormente, mesmo depois de morto, teve tal idéia condenada como herética pelos cristãos ortodoxos.

Perguntaram-me o que eu achava de tal doutrina.

Bom.

Gostaria muito que ela fosse verdadeira. Quem é que não gostaria? Ora, seria realmente muito bom que a luz, o bem e a verdade pudessem triunfar sobre cada palmo de trevas que existe no universo. Que mesmo o mais cruel dos seres possa chegar à conclusão de que sua maldade não compensa, é irracional e desnecessária. Que todo o sentido da existência é o amor, porque Deus é amor. Que não haja inferno, castigo eterno, ou coisa do tipo, enfim. Será que alguém deseja que outrém passe por aquilo que "ortodoxamente" se tem entendido por inferno?

Um padre amigo meu disse que perguntaram para Francisco se ele acreditava no inferno. Pergunta difícil para se fazer a um católico, afinal, este não pode discordar em nenhum ponto de sua igreja. Francisco acabou por dizer que, sim, acreditava em um lugar chamdo inferno. Mas que nada o impedia de crer que ninguém estaria por lá...

Ou seja, um bom jeito de não ir de frente contra sua igreja... Afinal, não há nenhum crime ou heresia em se desejar que todos sejam salvos.

Por isso, repito, penso que todos gostaríamos que tal doutrina seja verdadeira...

Entretanto, e se não for?

Bem.

Na dúvida (se é que temos alguma dúvida...), é melhor pregar o evangelho para todo mundo. Se o Universalismo for verdadeiro, todo mundo estará salvo, mais tempo menos tempo. Se o Universalismo não for verdadeiro, pelo menos toda criatura terá ouvido o evangelho, e portanto, terá tido a chance de crer. E além do mais, a determinação para pregar o evangelho para toda a criatura foi-nos dada pelo próprio Salvador, e cumpre obedecê-lo, pois se pregamos, não o fazemos primeiramente para salvar a humanidade, mas sim para a glória do próprio Deus..