quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

A discrição de Jesus



"Jesus, com severidade, despedi-o e recomendou-lhe: 'Não contes nada a ninguém...' Ele porém, assim que partiu, começou a proclamar e a divulgar muito este acontecimento, de modo que Jesus já não podia entrar, publicamente na cidade. Ele ficava fora, em lugares desertos, mas de toda parte vinham a ele" (Marcos 1.40-45).



O texto acima diz respeito à famosa cura de um leproso por parte de Jesus. O leproso literalmente orou: "Se queres, pode me purificar". É como se tivesse dito: "Faça-se conforme tua vontade, pois sei que tens poder para isso". E Jesus, com toda sua misericórdia, afirmou que queria a cura daquele homem, e assim o fez.

Interessante que, após, com severidade, disse para que o homem não publicasse o acontecimento. Antes, determinou que ele cumprisse o que a lei prescrevia para tais ocorrências, e é isso que deveria servir de testemunho (vers. 44).

Entre outros motivos para a determinação do segredo, talvez fosse o fato de que dificultaria muito o ministério de Jesus, primeiramente, por chamar a atenção das autoridades religiosas de Israel; e em segundo lugar, pela própria aglomeração do povo que iria buscar o seu milagre...

O homem que fora curado não aguentou guardar segredo,e tagarelou tudo o que ocorreu. Proibir aquele homem foi como dizer para ele fazer ao contrário. Jesus, que é Deus, e cuja as Escrituras dizem que já sabia o que tinha no coração dos homens, antecipando-lhes até os movimentos, não sabia que o homem iria descumprir sua ordem? Teria dado tal ordem de propósito, para que o homem o desobedecesse e "publicasse" tal ocorrência? Esta é uma linha interpretativa, somente uma conjectura, da qual, pessoalmente, não acredito.

Não acredito porque isto ocorreu em outros momentos do ministério de Jesus. Ele sabia que todos o buscariam somente por causa dos milagres que realizava. Um tempo depois, até tentaram fazer dele rei, e ele se foi novamente para o deserto. Em outra, disse que ele só era seguido por causa dos sinais que realizava, em um duro discurso dos quais muitos desistiram de continuar como seguidores dele.

Jesus age de forma diferente da maioria. Faz o milagre, e vai para o anonimato. Atualmente, qualquer suposto milagre, e pronto. Rádio, televisão, marketing promovido  pelo próprio ministério em que o suposto milagre ocorreu. Não há nada daquela discrição que havia em Jesus.

Somos assim. A maior parte de nós mal faz alguma coisinha boa, e já publica, as vezes despretenciosamente, para todo mundo ver. Por isso no sermão do monte, Jesus tantas vezes fala da boa obra feita em segredo, esta sim, de grande valor. Somos carentes. Queremos elogio. Isto mostra que não somos tão seguros em Deus quanto parecemos, daí, precisarmos da aprovação alheia. Daí, as orações, esmolas e jejuns que gostamos de publicar. Mas o que vale com Deus, é a vida vivida com Ele e diante dele no segredo.

O exemplo de Cristo nos chama à discrição. Estaremos nós dispostos a isso?

Por Carlos Seino.