quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Oração do Pai nosso: o pão de "hoje"

O pão nosso de cada dia nos dá hoje (Mateus 6.11);




Acho que foi Santo Agostinho que disse que o "ontem" não existe. Já foi, já existiu. Nem mesmo o "amanhã" existe, visto que ainda existirá, e sequer sabemos se iremos "estar lá" para vivê-lo.


Às vezes medito que o tempo não passa. Somos nós que passamos. Talvez só exista o eterno hoje. E chamamos de tempo esta sucessão de eventos que vislumbramos das coisas que passam diante de nossos olhos. Ou seja, será o tempo somente uma noção humana?

Talvez por isso o escritor da epístola aos hebreus tenha dito: "Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado" (Hb 3.13).

Muitas pessoas vivem infelizes por conta de coisas que pertenceram ao ontém. Outras, vivem ansiosas por coisas que talvez aconteçam (ou talvez não) somente amanhã.

A dificuldade de sermos felizes é porque não conseguimos ficar muito tempo em "nossa base", em nosso momento presente. Ou estamos presos ao passado, ou somos amedrontados pelo futuro. Não conseguimos nos fixar.

A Escritura nos ensina a estarmos contentes com as coisas simples: "Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes" (1 Tim 6.8).

Importa estar agradecido pelo pão de HOJE. Pela amizade com meu cônjuge, meu filho, meu irmão, meus pais, HOJE.

Importa saber como está o meu relacionamento com Jesus HOJE, pois Ele é o "pão da vida que desceu dos céus e dá vida ao mundo" (João 6.33).

O ato de saborear o pão da vida é diário. O nosso sim e o nosso amém ao verdadeiro pão deve ser constante. Não compensa deixarmos de usufruir o pão de HOJE, por conta das dores que ocorreram ONTEM, ou das que ainda poderão acontecer AMANHÃ.

"Senhor, o pão de cada dia nos dá HOJE..."